O Ubuntu é um sistema operacional bastante conhecido por pessoas e empresas ao redor do mundo pelo fato de ser “a cara do Linux”.

Após alguns meses de desenvolvimento, ele acabou de chegar em sua versão 21.10, apelidada de Impish Indri, trazendo várias mudanças que podem (ou não) agradar seus usuários.

Um visual diferente

Dentre todas as mudanças que a nova versão do Ubuntu traz, provavelmente as mais notáveis estarão ligadas ao visual do sistema. Confira o que mudou desde seu último lançamento.

O clássico wallpaper da versão

A cada nova versão do Ubuntu além das melhorias e novos recursos, uma das maiores expectativas dos usuários é o design do novo wallpaper e a edição Impish Indri do sistema, traz um belo e travesso lêmure para estampar sua área de trabalho.

image 38

Enfim, o GNOME 40

A nova versão do sistema oferece aos usuários o GNOME 40 por padrão, algo que foi adiado em sua versão anterior já que a Canonical precisava de estudar as mudanças apresentadas pela equipe do GNOME para que o Ubuntu não abandonasse seu visual.

image 37

Assim como ocorre desde a primeira versão após a migração do Unity para GNOME, o Ubuntu evitou mexer nos elementos principais do GNOME e apenas trouxe extensões para ativar a área de trabalho e transformar a dock do sistema em uma dash lateral.

image 36

Vale dizer que tirando a nova posição da dock, os usuários terão o mesmo workflow apresentado pelo GNOME 40, como gestos de trackpad, áreas de trabalho virtuais horizontais e muito mais.

Mudanças no tema Yaru

O tema Yaru vêm recebendo melhorias desde seu lançamento oficial na versão 18.10 e desta vez, não seria diferente. No Ubuntu 21.10, o tema teve que dar adeus a sua variante standard que acompanha o sistema desde sua versão 20.04 LTS.

Ele trará o tema Yaru Light por padrão para os usuários que podem optar por instalar sua variante escura. Vale dizer que embora o tema claro seja o padrão, o tema do shell continuará sendo o Yaru Dark.

image 35

Um Ubuntu cada vez mais snap-based

Uma das mudanças que farão toda a diferença para os usuários do sistema, ao menos nos primeiros momentos é a utilização de aplicativos snap como o padrão no Ubuntu, como a Snap Store e a mais recente adição, o Mozilla Firefox.

image 34

Recentemente, a equipe da Canonical anunciou que o navegador de internet padrão do sistema seria entregue através do formato Snap, a pedido da própria Mozilla e como esta é a última versão de “testes” do Ubuntu antes de sua próxima edição LTS, a equipe do sistema implementou essa mudança.

image 33

Ainda será possível instalar a versão oficial dos repositórios do Ubuntu através do comando sudo apt install firefox e diferente do navegador Chromium esta versão não irá instalar a versão em snap do software.

image 32

Caso você queira saber mais sobre esta mudança e os impactos que ela irá trazer, conferida este artigo completo no blog falando especificamente sobre esse assunto.

Com suporte inicial a Macs M1

A nova versão do sistema da Canonical traz a seus usuários o kernel 5.13, que dentre seus vários recursos, possui o suporte inicial aos chips M1 desenvolvidos pela Apple que acompanham a nova geração dos dispositivos da empresa.

Além dos dispositivos da Apple, o kernel 5.13 conta com diversas melhorias para a AMD e traz suporte inicial para a série de GPUs AMD Radeon “Aldebaran”, FreeSync HDMI e suporte de driver para GPUs AMD NAVI.

image 31

Utilizando a nova versão do sistema

Se você ficou interessado nos recursos oferecidos pelo Ubuntu 21.10 e deseja instalá-lo em sua máquina para fazer alguns testes ou produzir, basta realizar o download do sistema em seu site oficial.

Caso o Ubuntu seja o seu sistema operacional principal, é possível atualizar o sistema sem formatar através do aplicativo “Programas e atualizações”.

Você utiliza o Ubuntu? O que achou da versão 21.10? Deixe sua opinião nos comentários e até o próximo artigo!


Newsletter Diolinux
Talvez Você Também Goste