Fedora 33 lançado com BTRFS e muito mais! Muito mais mesmo!

fedora33-lancamento

A exemplo do que aconteceu no lançamento do Fedora 32, mais uma vez a equipe de desenvolvimento não conseguiu entregar a versão final do sistema na data planejada (21/10), e hoje (27/10/2020), o Fedora Workstation 33 finalmente deixa de ser uma “beta” e é liberado para os seus usuários como versão estável.

Este pequeno atraso não chega a ser um problema, já que é preferível aguardar alguns dias a mais do que receber um software com eventuais bugs por não estar finalizado. O “atraso” é mais do que justificado, afinal, esse é o lançamento mais cheio de novidades que já vi desde que conheço o Fedora.

Além disso, você não reclama por ter recebido um presente alguns dias depois do que você esperava, não é? 😅

O que há de novo no Fedora 33?

O poderoso sistema de arquivos BTRFS

A mudança mais comentada e que chegou como uma surpresa para muitos usuários do Fedora é sem dúvidas a substituição do “EXT4” pelo “BTRFS” como o sistema de arquivos padrão do sistema.

A maioria dos usuários talvez não sinta na prática quaisquer diferenças ao trocar o Fedora 32 com EXT4 pela versão 33 com o BTRFS. Todavia, isso não significa que elas não existam. O BTRFS possui várias vantagens quando comparado ao EXT4, alguns exemplos são:

Copy-On-Write

O “copy on write” faz com que ao mover um arquivo de um diretório para o outro o sistema apenas crie um link no local de destino ao invés de mover o arquivo completo. Isso faz com que o procedimento seja instantâneo, de forma que o arquivo será completamente movido apenas quando sofrer alterações.

Snapshots

Os snapshots são provavelmente o maior diferencial do BTRFS, ou ao menos o mais famoso. Esta funcionalidade permite que o sistema de arquivos automaticamente crie backups dos arquivos do sistema operacional. Algo semelhante aos pontos de restauração do Windows.

Uma vez que tenham sido criados estes “pontos de restauração” poderão ser acessados diretamente através do GRUB, ou de softwares de backup como o Timeshift.

Compressão

O BTRFS também possui uma característica que faz com que o mesmo comprima todos os arquivos armazenados na partição em que encontra-se ativo. Isso gera economia de espaço em disco, o que é uma boa notícia para quem utiliza o sistema em SSD’s com pouca capacidade ou espaço livre.

É importante deixar claro que quem quiser, poderá instalar o Fedora 33 utilizando o EXT4, selecionando-o nas configurações de particionamento avançadas durante a instalação do sistema.

Se você quiser saber mais sobre todas as vantagens e desvantagens do BTRFS confira este artigo que o Carlos Augusto preparou abordando o assunto de uma forma detalhada e fácil de entender. 😃

Uma longa jornada que ainda não chegou ao fim

Substituir o EXT4 pelo BTRFS foi uma grande decisão, que traz consigo a necessidade de muito trabalho e tempo para que tal mudança seja finalizada com sucesso e é por isso que a implementação do BTRFS no Fedora ainda não está 100% completa.

Embora estas funcionalidades possam ser utilizadas com o Fedora 33, algumas das mais importantes como a compressão e as snapshots não estão vindo ativadas por padrão.

Esta é uma limitação que eu considero normal e compreensível, considerando que o Fedora contém um espaço de tempo relativamente curto entre cada versão, e acredito que o BTRFS já esteja completamente integrado até o lançamento do Fedora 34.

Mas isso só o tempo nos dirá.

As vantagens do novo GNOME 3.38

Assim como a nova versão 20.10 do Ubuntu que foi lançada recentemente, o Fedora 33 também está trazendo o GNOME Shell na versão 3.38 junto com todas as novidades presentes no mesmo.

Welcome to GNOME!

Esta é sem dúvidas a primeira novidade que podemos encontrar ao iniciar o Fedora 33. A nova tela de boas vindas do GNOME mostra aos usuários de uma forma simples e didática os princípios básicos que compõe o funcionamento do GNOME Shell.

fedora-33-welcome-screen

Após passar pelos passos da nova “Welcome Screen”, até mesmo quem estiver vendo o GNOME Shell pela primeira vez na vida será capaz de “se encontrar” no sistema sem muitas dificuldades, executando tarefas básicas como localizar programas no menu de aplicativos e utilizar a barra de favoritos.

Organize a “grade” de apps à sua maneira

Esta era uma das funcionalidades mais aguardadas por muitos usuários, não apenas do Fedora, mas também de várias outras distros que utilizam o GNOME Shell. A possibilidade de alterar as posições dos ícones no menu de aplicativos do sistema.

Finalmente chegamos a um ponto onde o menu de softwares do GNOME possui quase todas as funcionalidades que os seus usuários sempre desejaram. Primeiro a chegada da possibilidade de agrupar os ícones em pastas e nomeá-las à sua escolha, e agora podendo reposicionar os ícones livremente dentro do grid.

Ainda sobre a grade de apps, agora os ícones dentro de cada pasta serão organizados por páginas com uma rolagem lateral. Isso contribui para um visual mais coeso e limpo.

paginas-de-pastas

Assim como não deixamos você na mão e fizemos um artigo completo falando sobre o BTRFS, com o novo GNOME 3.38 não seria diferente. Confira o super artigo que fizemos falando detalhadamente sobre todas as novidades que estarão presentes nesta nova versão da interface gráfica que acredito ser a identidade visual do Linux nos desktops.

A seleção de apps

Eu sou do tipo de usuário que não gosta de um sistema com muitos aplicativos instalados por padrão. Sempre que há disponibilidade, prefiro instalar versões mais minimalistas das distros Linux. Como por exemplo, a opção “Instalação mínima” disponível durante a instalação do Ubuntu.

Apesar do Fedora não ofertar esta opção, não tenho nada a reclamar. O sistema do chapéu azul traz uma lista lista relativamente curta de softwares pré instalados, que conta basicamente com várias aplicações do ecossistema do GNOME, mais o LibreOffice.

fedora-33-gnome-aps

Dentre as aplicações do projeto GNOME pré instaladas no Fedora 33 estão softwares como o Boxes (virtualizador de sistemas, semelhante ao VirtualBox), Clima, Videos, Calendário, entre outros.

Swap na memória RAM, comprimida e inteligentemente utilizada

A partir desta nova versão, por padrão, a memória Swap não será mais uma partição ou um arquivo localizado no seu hardware de armazenamento, mas sim um arquivo comprimido que ficará localizado, porém, não necessariamente alocado na memória RAM.

Isso mesmo! A ZRAM irá ocupar espaço na sua memória RAM apenas quando for necessário. Mesmo que você tenha, digamos 2GB de ZRAM (Swap), tal espaço permanecerá livre a menos que o sistema operacional precise dele.

O EarlyOOM e o uso mais inteligente de memória RAM

Além da ZRAM também está chegando no Fedora 33 o EarlyOOM, que automaticamente encerra processos ao identificar que a sua memória RAM está lotada, assim impedindo que o sistema todo trave e você perca todo o seu trabalho não salvo.

Spins: Os sabores do Fedora

Uma boa notícia nunca vem sozinha! Apesar do Fedora Workstation possuir uma versão principal que utiliza o GNOME Shell, assim como no “mundo Ubuntu” também existem variações do sistema com outras interfaces gráficas. São os chamadas Fedora Spins!

As Spins são nada menos do que o próprio Fedora equipado com outras interfaces gráficas, sendo elas: KDE Plasma, XFCE, Cinnamon, LXqt, LXDE, MATE e SOAS.

Por serem derivações diretas, todas elas também estão sendo atualizadas com a base do Fedora 33 somada as versões estáveis mais atuais de cada interface gráfica.

O wallpaper mais bonito de todos?

Apesar de ser uma questão de gosto pessoal, é claro que eu não poderia terminar este artigo sem mencionar o novo wallpaper padrão do Fedora 33.

Devo dizer que eu nunca fui um fã dos wallpapers “default” do Fedora, e, até a versão 32 do sistema nenhum realmente me agradou. Todavia, felizmente o novo wallpaper do Fedora 33 é simplesmente lindo, e com certeza irá decorar a minha área de trabalho por um bom tempo de agora em diante.

fedora-33-wallpaper

E você, também achou o novo wallpaper do Fedora tão bonito quanto eu? 😁

Eu devo atualizar para o Fedora 33?

Não necessariamente.

Segundo o que foi divulgado no site oficial do projeto, o Fedora 32 continuará recebendo atualizações até quatro semanas após o lançamento do Fedora 34. Isso significa que você que é usuário desta versão do sistema ainda tem aproximadamente seis meses de suporte.

Embora não haja uma extrema necessidade de se atualizar a versão do seu Fedora neste momento, esta é a melhor opção que você tem para tirar proveito de todas as novidades mencionadas acima, bem como instalar softwares com versões mais atualizadas diretamente dos repositórios oficiais do sistema.

A decisão é sua!

Como atualizar a partir do Fedora 32

Se você está “louco” para experimentar o Fedora 33 e tudo o que ele traz de novo, mas não quer ou não pode ter todo aquele trabalho de formatar a máquina e fazer uma instalação limpa do sistema: nós pensamos em você!

Tendo em mente este público, fizemos um tutorial completo mostrando como fazer para instalar o Fedora 33 à partir da versão 32 simplesmente atualizando o sistema.

BTRFS apenas em instalações novas

É importante deixar claro que caso você opte por apenas atualizar e não fazer uma instalação limpa o seu sistema de arquivos continuará sendo o mesmo que você utiliza atualmente. Na maioria dos casos sendo o EXT4. Desta forma será possível tirar proveito das novas funcionalidades do BTRFS apenas se você fizer uma formatação instalando o Fedora 33 do zero.

Venha de onde for, seja bem vindo!

Seja você um usuário de outra distro, ou mesmo um usuário de Fedora que está fechando mais um ciclo e iniciando um novo ao atualizar a versão do seu sistema, seja bem vindo para aproveitar todas as vantagens que este software incrível tem à oferecer!

Se você é novo no mundo Linux ou mesmo no Fedora, e está indeciso sobre testar ou não o sistema, dê uma olhada no artigo que fizemos analisando se o Fedora é ou não uma boa opção para iniciantes. Caso você esteja planejando fazer uma instalação limpa do Fedora 33, confira o nosso artigo sobre como gerenciar programas, atualizações e muito mais no sistema do chapéu azul.

Qual é a sua relação com o Fedora? É usuário, já testou, ou pretende testar o sistema? Conte mais nos comentários abaixo!

Isso é tudo pessoal! 😉


Newsletter Diolinux
Talvez Você Também Goste