Ser “gamer” utilizando uma distro Linux é algo que, com os avanços dos últimos anos, tem se tornado cada vez mais fácil.

Novas soluções continuam a surgir de diversos projetos, empresas e comunidades diferentes. Desde a criação do Wine e do Lutris, passando pelo lançamento do Proton até o Steam Deck, cada vez mais a experiência de jogar no Linux se aproxima do que temos nos sistemas Windows.

Desta vez é o projeto GNOME, que, mais uma vez, está contribuindo para o crescimento da comunidade Linux também no quesito “gaming”.

Uma limitação do GNOME Shell

Até a versão 41, o GNOME Shell comprime a taxa de atualização (também conhecida como polling rate) do mouse segundo a capacidade do monitor que está sendo utilizado. Por exemplo: mesmo que o seu mouse possua 500Hz de “polling rate”, ao utilizar um monitor de 60Hz, a taxa de atualização do mouse será comprimida para o mesmo valor.

Quais as consequências de um “polling rate” limitado?

Tal redução é imperceptível para a maioria dos usuários. Se você utiliza o computador para serviços de escritório, provavelmente jamais irá perceber qualquer limitação em relação a isso. 

Porém, jogadores de títulos competitivos e pessoas que trabalham com softwares como Inkscape, Krita e Gimp, podem notar uma diferença significativa por causa dessa compressão no “polling rate”.

Um problema a menos na lista

Felizmente, a equipe anunciou que a partir da versão 42 isso já não será um problema para os usuários do GNOME Shell.

Os desenvolvedores do GNOME conseguiram encontrar uma solução que permitirá que o sistema não limite a taxa de atualização máxima do mouse que está sendo utilizado.

woman works with laptop home holds computer mouse her left hand

Esta solução ainda está sendo é “algo temporário”, porém, está funcionando bem o suficiente para que tanto gamers quanto designers possam perceber uma melhora significativa ao utilizar o GNOME Shell.

Uma solução permanente já está sendo trabalhada, e, segundo os desenvolvedores, está sendo focada no servidor gráfico “Wayland”, sucessor do X.org.

O quão importante é o “polling rate”

Eu já utilizei desde mouses genéricos de R$ 15,00, até mouses “gamer” com taxas de atualização de 500Hz e 1000Hz, minha rotina no computador gira em torno de tarefas de escritório, bem como jogos casuais, offline e não competitivos, como: GTA, Life is Strange, Mass Effect, Portal, Half Life e etc. Neste cenário, jamais notei qualquer diferença relacionada a “polling rate” de um mouse para o outro.

Isso não significa que esta diferença não exista, apenas que eu não sou o tipo de usuário que é afetado por esses diferenciais.

Especificações como DPI e “polling rate” fazem a diferença para você? Se sim, você já sentiu alguma limitação no GNOME Shell em relação a isso? Conte-nos a sua experiência nos comentários abaixo!

Isso é tudo pessoal! 😉


Newsletter Diolinux
Talvez Você Também Goste