Linux Mint 20 traz novidades para notebooks híbridos

Linux Mint 20 Linux Snap Flatpak Mint Linux Mint

Mais um mês chegou e o “relatório” mensal do Linux Mint também veio, como de costume. Para quem não está habituado ou está chegando agora no mundo Linux, o projeto Linux Mint divulga todo começo de mês, um “relatório” mensal sobre novidades que virão nas próximas versões do sistema.

Como já  vínhamos cobrindo desde o começo de 2020, o Linux Mint 20 prometia algumas novidades bem interessantes, como o aplicativo Warpinator para transferência de arquivos entre computadores dentro da mesma rede, mudança na paleta de cores (tornando elas mais “palatáveis” 😅) e a possibilidade de mudar a cor do tema na primeira inicialização do sistema.

No artigo referente ao relatório do mês passado, fizemos uma abordagem bem bacana sobre todos estes pontos, você pode acessá-lo clicando aqui.

Novidades para o mês de Junho

Os “relatórios” ou boletins mensais são escritos pelo fundador do Linux Mint, Clément Lefèbvre, geralmente usando uma linguagem leve e às vezes até descontraída, trazendo alguns agradecimentos e informações financeiras sobre o projeto, mas neste mês ele não fez tais “gracejos”, o que me parece no mínimo estranho 👀.

Esta não foi a única coisa estranha que apareceu neste boletim, o  primeiro tópico que foi abordada por ele foi sobre o novo esquema de cores, que estavam pensando em adotar no Linux Mint e parece que não deu muito bom.

Segundo Clément, o feedback da galera em relação a essa mudança das cores foi mais “negativa” do que “positiva” e que por esse motivo, irão adotar uma postura mais “conservadora”, ajustando os esquemas de cores durante a fase BETA do Linux Mint 20.

Depois ele tocou em um assunto bastante polêmico e que ainda divide a comunidade Linux, que é adoção ou não do empacotamento em containers, como o Snap e Flatpak. No caso do Linux Mint, mais precisamente, o uso dos Snaps.

Ele falou que foi bastante indagado sobre o snapd no Linux Mint e reafirmou a sua posição em favor de não utilizá-lo, declaração feita no ano passado (2019). Destacado sobre o porquê de não utilizar o Snap, ele usou como exemplo o navegador Chromium.

…as you install APT updates, Snap becomes a requirement for you to continue to use Chromium and installs itself behind your back. This breaks one of the major worries many people had when Snap was announced and a promise from its developers that it would never replace APT. A self-installing Snap Store which overwrites part of our APT package base is a complete NO NO. It’s something we have to stop and it could mean the end of Chromium updates and access to the snap store in Linux Mint.

Conforme você instala as atualizações do APT, o Snap se torna um requisito para você continuar usando o Chromium e se instalando pelas suas costas. Isso quebra uma das principais preocupações que muitas pessoas tiveram quando o Snap foi anunciado e uma promessa de seus desenvolvedores de que nunca substituiria o APT.

Uma instalação automática da Snap Store que sobrescreve parte da nossa base de pacotes do APT é um completo NÃO NÃO. É algo que precisamos parar e pode significar o fim das atualizações do Chromium e o acesso à loja de snap no Linux Mint.

A revolta de Clément se deve ao fato que o pacote do Chromium está vindo vazio e agindo como um “backdoor” no seu computador e assim conectando na Ubuntu Store. Comentou também, que os apps dentro da Ubuntu Store não podem ser corrigidos ou marcados. Também falou que “ Você não pode auditá-los, mantê-los, modificá-los ou até apontar o snap para uma loja diferente. Você tem tanto poder quanto se estivesse usando um software proprietário, ou seja, nenhum. Isso é de fato semelhante a uma solução proprietária comercial, mas com duas grandes diferenças: ele roda como root e se instala sem perguntar.”

Ainda complementou esta parte com a seguinte declaração:

“ Primeiro, fico feliz em confirmar que o Linux Mint 20, como as versões anteriores do Mint, não será enviado com snaps ou snapd instalado. Segundo, para resolver essa situação, faremos exatamente o que dissemos que faríamos:

  • No Linux Mint 20, o Chromium não será um pacote vazio que é instalado rapidamente pelas suas costas. Será um pacote vazio que informa por que está vazio e indica onde procurar o Chromium.
  • No Linux Mint 20, o APT proibirá a instalação do snapd.

Você ainda poderá instalá-lo por conta própria e vamos documentar isso em notas de lançamento, mas, por padrão, o APT não permitirá que pacotes de repositório façam isso em seu nome.”

Linux Mint 20 e o suporte para notebooks híbridos (Intel+NVIDIA)

Sim meus queridos leitores, parece que eles “acordaram” e vão seguir a tendência do mercado de dar suporte aos “abençoados” notebooks híbridos no Linux Mint 20. Muito provavelmente, o novo Cinnamon 4.6 virá com o mesmo suporte que o Gnome no Ubuntu apresentou, permitindo inicializar o app desejado com a GPU dedicada da NVIDIA.

  • nvidia1
  • thumb nvidia2

Isso foi possível graças aos novos comandos adicionados para o offload do GLX e do Vulkan, que fazem parte dos pacotes nvidia-optimus-offload-glx e o nvidia-optimus-offload-vulkan. A compatibilidade por hora, está disponível para Cinnamon e MATE.

Outras melhorias que virão no Linux Mint 20

Por último ele complementou que o suporte para múltiplos monitores foram aprimorados e que problemas de anos foram corrigidos pelo dev James Ross.

Também citou  que os ícones que ficam na bandeja do sistema receberam melhorias em suas aparências, através do XAppStatusIcon, assim deixando um visual mais consistente no Linux Mint 20.

tray

Muito bom ver esse aceno do Linux Mint 20 para dar suporte aos notebooks híbridos, assim como outras distros Se mantendo no “páreo” na disputa por esse nicho. Muito provavelmente, irei testar ele no meu notebook híbrido e para ver como se sai na prática. Porque nos meus últimos testes, o Mint não se saiu muito bem e apresentou algumas inconsistências, mas, espero que nesta versão elas estejam corrigidas.

Nos vemos no próximo artigo, forte abraço!


Newsletter Diolinux
Talvez Você Também Goste