GNOME

Projeto GNOME completa 25 anos

GNOME Shell é “cara” de grande parte das instalações Linux no mundo, com diversos marcos incríveis e completando 25 de história, de fato é um projeto que põe a cara para bater! Começou em 1997 como um projeto de duas pessoas e hoje em dia é o ambiente desktop preferido de muitas distribuições, além de ter se tornado um projeto de código livre mantido por uma enorme e diversa comunidade distribuída no mundo inteiro.

Vem comigo conhecer esses principais marcos.

Primeiros anos

Em 15 de agosto de 1997, Miguel de Icaza e Federico Mena Quintero comunicam para a lista sobre GTK na Red Hat que desejam desenvolver um novo ambiente gráfico baseado nessa tecnologia. O anúncio inclui algumas explicações sobre as motivações para fazer algo do zero, ao invés de simplesmente contribuir para o projeto KDE.

O GNOME versão 1.0 foi lançado em 03 de março de 1999 usando GTK+ como base e boa parte do esforço foi para oferecer uma plataforma amigável de desenvolvimento, uma excelente decisão para atrair diversidade de desenvolvedores e aplicativos. Além disso, licenças públicas de uso das bibliotecas e aplicativos foram disponibilizadas.

A interface lembrava bastante o Windows 95, você pode testar e se divertir baixando esta máquina virtual. Quando abrir o Mozilla 0.9.2.1 já abrirá o snapshot na Wayback Machine da página do GNOME na época.

Tela do GNOME 0.9.2.1
Tela do GNOME 0.9.2.1

Anos 2000 – estruturando o projeto

Em 2000 acontece a primeira GUADEC – GNOME Users And Developers European Conference, em Paris, que reuniu cerca de 70 colaboradores.

Neste ano a Fundação GNOME foi estruturada e obteve apoiadores importantes, com destaque para empresas como Red Hat, Compaq, Eazel, Helix Code, IBM e Sun Microsystems.

Em 26 de junho de 2002 foi lançada a versão 2.0, com importantes mudanças visuais e comportamentais. A característica barra de controle superior surgiu, foram criados padrões para desenvolvimento de interfaces, trazendo consistência entre as aplicações, uma enorme variedade de funções para acessibilidade de pessoas com limitações físicas. Esta versão perdurou por 9 anos, recebendo 16 lançamentos adicionais até 2011.       

Tela do GNOME 2.0
Tela do GNOME 2.0. Fonte: https://happybirthdaygnome.org/

A versão 2.32, a última da série 2, ainda preservava a característica barra superior com o menu de aplicativos e a inferior com o controle de janelas e de áreas de trabalho.

Tela do GNOME 2.32
Tela do GNOME 2.32. Fonte: https://help.gnome.org/misc/release-notes/2.32/

Um GNOME totalmente novo em 2011

O GNOME 3.0 chegou em 2011 com um desenho totalmente novo. Inspirado nos dispositivos móveis, mudou o foco anterior em aplicativos para um menu de atividades do usuário. O menu superior passou a se chamar Atividades e uma barra na esquerda continha ícones grandes para as aplicações mais usadas. 

As janelas abertas, ou suas “atividades” passaram a ser vistas num único painel instantâneo, permitindo a troca rápida entre elas.

Tela do GNOME 3.0
Tela do GNOME 3.0. Fonte: https://happybirthdaygnome.org/

O fluxo de trabalho ficou bem diferente também e você pode aprender sobre ele neste nosso vídeo sobre o modo GNOME de se trabalhar.

Você (provavelmente) está usando o GNOME de forma “ERRADA”!   

Em 2016 a versão 3.22 trouxe suporte integrado a Flatpak em sua loja de aplicativos, e  em 2017, completando seus 20 anos, o GNOME celebrou sua maior idade em uma conferência marcante ocorrida em Manchester, Reino Unido. Você pode ver a palestra de Jonathan Blandford sobre a história do GNOME neste vídeo

Fim da era 3.0 e início da 40

A era da versão 3 foi encerrada em 2020 após 19 outros lançamentos. A versão 3.38, a última desta série, trouxe muitas melhorias e uma experiência super moderna para o usuário. Mapas, controle para os pais, melhoria de desempenho e suporte a vários monitores são algumas delas.

Em março de 2021 um novo esquema de versionamento é anunciado com o lançamento da versão 40. O principal motivo foi controlar melhor o ciclo de cada lançamento,melhorando o alinhamento com os novos métodos e objetivos de desenvolvimento (alpha, beta, rc, stable release…).

E o GNOME 40 chegou com tudo mesmo! Controle por gestos em touchpads assumiram um outro patamar! A grade de aplicativos ficou muito consistente e bonita e vários aplicativos nativos foram redesenhados, como o de mapas, tempo e arquivos.

Você pode conferir os detalhes de cada lançamento nesta lista. É legal observar as mudanças visuais com o tempo.

Em agosto passado, com seus 25 anos de existência, a comunidade chegou a 291 integrantes na Fundação GNOME e mais outras centenas de colaboradores indiretos por todo o mundo. Na GUADEC de julho de 2022, ocorrida em Guadalajara, México, os participantes tiveram muitos motivos para se alegrar e se impressionar com os resultados ao longo dos anos. Neste evento, destacaram como pretendem continuar construindo coisas novas nos próximos 25 anos, e com o convite aberto para qualquer pessoa que queira fazer parte dessa história.

Bolo de 25 anos GNOME na GUADEC
Bolo dos 25 anos do GNOME na GUADEC de 2022. Fonte: https://happybirthdaygnome.org/

O GNOME pegou muita inspiração dos celulares e tem se tornado tão bom que surgiu o Projeto GNOME Mobile, que pretende levar o GNOME shell para dispositivos móveis. Enquanto isso, a versão 43 beta está rolando, como já faz parte da rotina do Diolinux, testamos as novidades para você conhecer em primeira mão.

Uma curiosidade: o GNOME já apareceu em vários filmes e séries famosas, como:

Eu, particularmente, ainda uso KDE Plasma como meu ambiente principal. Meu perfil é o de ter mais controle sobre as coisas e de alterar comportamentos. 

A pegada sci-fi do Plasma também me atrai muito. Mesmo assim, sou admirador da beleza e objetividade do GNOME e procuro incluí-lo cada vez mais no meu dia-a-dia. 

E você? Usa mais de um ambiente? Conta aí nos comentários suas impressões com a era 40 do GNOME e se o usaria no celular.

Diolinux Ofertas - Aproveite os melhores descontos em diversos produtos!