Mudar de provedor de hospedagem pode ser um processo complicado e, às vezes, até mesmo assustador. No entanto, se você se preparar adequadamente e seguir alguns passos simples, poderá migrar seu site para um novo provedor de hospedagem sem muitos problemas.

Neste artigo, focando mais na parte estratégica e de planejamento, vou te mostrar como migrar seu site de um provedor de hospedagem para outro com segurança.

Quando devo migrar?

Eu trabalho com marketing digital e tráfego há alguns anos e já tive a oportunidade de auxiliar empresas de diferentes portes a migrar seus websites. O que ficou muito claro para mim, é que uma boa preparação e clareza dos objetivos ajudam a tornar o processo muito mais seguro.

Reduzir custos, melhorar o desempenho, implantar novas tecnologias, ter melhor suporte, são vários os motivos que podem justificar a troca do serviço de hospedagem.

Migrar um site no ar há anos, como um blog, pode gerar vários impactos em SEO e posicionamento orgânico. Então, tenha em mente que toda a migração por mais bem feita que seja, envolve riscos e que você precisa cobrir o máximo de variáveis possíveis.

Tenha cuidado com planos de hospedagem que oferecem vantagens totalmente fora do padrão do mercado, se algo parece bom demais para ser verdade, geralmente é mesmo.

Como escolher o provedor de hospedagem certo para migrar seu site

Você precisa pensar no tamanho do seu site, no tráfego que ele recebe e nas suas necessidades específicas. Além disso, é importante comparar preços e ler avaliações para ter certeza de que está escolhendo o melhor provedor para o seu site.

Provedores de hospedagem geralmente são alvos constantes de reclamação, então, procure encontrar empresas com histórico positivo. Se possível, encontre o site de alguns clientes das empresas pelas quais você se interessou e acesse o site deles.

diolinux migrar seu site clientes

Se possível faça alguns testes usando ferramentas como o Pingdom e GTMetrix para ter uma ideia dos serviços entregues, mesmo que um site “mal feito” atrapalhe o desempenho geral, será possível ter uma ideia sobre os recursos do provedor.

Por último, preste muita atenção no tipo de suporte oferecido e lembre-se que um suporte 24×7 (24h e sete dias por semana) em português pode ser um diferencial enorme quando algo der muito errado.

Preparando o seu site para a migração

Você precisa fazer uma limpeza completa do seu site atual. Isso inclui todos os arquivos desnecessários, aproveite para limpar imagens, rascunhos e páginas que não sejam mais necessárias.

Também remova todos os plugins, temas e extras que não estejam em uso, isso vai ajudar a reduzir pontos de falha e também vai limpar um pouco as configurações do banco de dados.

Utilize ferramentas como o PhpMyAdmin para fazer uma limpeza do banco de dados e limpe os logs de aplicação, já vi algumas migrações terem problemas por culpa de logs com tamanho maior do que o necessário.

migrar seu site como escolher um provedor

Com tudo pronto, gere um backup completo do seu website e faça um teste para ter certeza de que ele realmente está integro. Novamente usando o exemplo do WordPress, existem ótimas ferramentas de backup e migração de dados como o All in One WP e o Duplicator.

Recomendo armazenar uma cópia temporária dos arquivos de backup em um cloud online como o Google Drive ou OneDrive e nunca cancele um serviço antes de ter certeza que terminou de migrar seu site com sucesso.

Passos para migrar seu site para o novo provedor

Com a hospedagem definida, faça uma lista com todos os pontos importantes da configuração do servidor e confira passo a passo. Se usarmos o WordPress como exemplo, podemos pensar em uma lista como:

  • Checar versão do PHP;
  • Checar versão do Banco de dados (MySQL, MariaDB, etc);
  • Conferir espaço em disco;
  • Conferir os limites do consumo de banda;
  • Fazer um teste de instalação e remoção;
  • Conferir recursos importantes (compactação, cache, CDN);
  • Confira todos as senhas e usuários dos serviços estão documentados;
  • Valide as configurações de DNS antes de migrar seu site;
  • Confira o limite de tamanho para upload de arquivos.

Para fazer o processo de migrar seu site entre provedores será necessário atualizar seu registro DNS, então, considere no seu planejamento o tempo de propagação do domínio.

Com tudo conferido e testado, você precisará criar um site no novo provedor de hospedagem e fazer o upload dos arquivos do backup. Por fim, você precisará ajustar as configurações do banco de dados e da aplicação para funcionarem com o novo provedor.

Realizando a migração

Planeje sua migração com antecedência e reserve o tempo suficiente, sempre considere o pior cenário e tenha as pessoas necessárias para te ajudar nesse processo. Recomendo fortemente que faça sempre migrações em horário comercial.

Salvo raras exceções, migrar seu site em horário comercial é a melhor opção para você ter o suporte adequado em caso de problemas.

Se você conduziu todos os testes indicados, as chances de algo dar errado nesta etapa é bem pequena. Mas, caso algum problema realmente grande ocorra, pode ser interessante suspender a migração temporariamente e buscar uma solução com calma.

Hospedagem de sites e aplicações web pode esconder algumas armadilhas, em um cenário problemático, voltar para o ambiente antigo que está estável pode ser a melhor opção para o negócio.

Pós-migração: o que fazer?

Parabéns! Sua migração foi um sucesso e seu website está lindo e faceiro no novo provedor de hospedagem.

Sua obrigação pelos próximos dias e fazer testes diversos e acompanhar se tudo está se comportando como deveria. Olhe os logs da aplicação e também as estatísticas do servidor, uma análise atenta pode te ajudar a encontrar anomalias e fazer as correções necessárias antes que elas se tornem um problema.

Como você pode ver, mudar de provedor de hospedagem não é uma tarefa difícil, mas requer algum conhecimento técnico e muito planejamento. Se você não se sentir confiante para fazer a migração por conta própria, pode contratar um profissional para fazer isso por você. No entanto, se você se sentir confiante o suficiente para tentar a migração por conta própria, basta adaptar os passos acima conforme a sua realidade e você terá o seu site funcionando perfeitamente em breve!


Newsletter Diolinux
Talvez Você Também Goste