AUR: o que é e como utilizá-lo no Manjaro

o-que-é-o-aur-do-arch

O AUR (Arch User Repository – Repositório de usuários do Arch) é um repositório comunitário que contém softwares para ser instalados no Arch Linux. Os pacotes contidos no AUR podem ser mantidos por qualquer pessoa que tenha conhecimento para fazê-lo. E podem ser instalados por qualquer usuário do Arch e seus derivados através de diversos gerenciadores de pacotes via linha de comando ou interface gráfica.

Uma das principais vantagens em se utilizar uma distribuição Linux, na minha opinião, são os repositórios de softwares. É graças a este método de trabalho que não precisamos sair “catando” programas através de pesquisas no Google em diversos sites internet afora.

Repositórios de softwares: uma tecnologia fantástica

Atualmente todas as distribuições Linux que são focadas em atender o “público geral” contam com lojas de aplicativos, de forma que os usuários podem simplesmente pesquisar e instalar as suas aplicações com literalmente um clique.

Além das lojas de aplicativos, também podemos contar com tecnologias como Snap e Flatpak, dessa forma podemos instalar literalmente quantos programas quisermos (contanto que estejam nos repositórios) com apenas um comando de terminal.

Além de nos permitir instalar até dezenas de milhares de softwares sem sequer abrir um navegador, as tecnologias de repositórios também permitem aos usuários de sistemas Linux atualizar todo o sistema operacional, incluindo os programas nele instalados com apenas um clique ou comando.

Com tudo o que foi dito até então, ficou bem claro que as tecnologias dos repositórios são simplesmente fantásticas e a vida de usuários de todos os níveis de conhecimento seria infinitamente mais difícil sem elas.

Mas é claro que nem tudo é perfeito. Sempre há um “lado escuro da lua” e apesar de os repositórios serem algo fantástico, nem sempre um software ou versão específica pode estar presente nos mesmos.

As razões para isso são muitas, mas posso citar algumas delas.

Tudo tem limite, até os repositórios

Para que um software possa entrar para os repositórios oficiais de uma distribuição Linux, em geral, é necessário que o mesmo passe por um controle de qualidade por parte dos desenvolvedores da distro em questão. Esta é a única forma que as comunidades ou empresas responsáveis pelo desenvolvimento das distros tem para assegurar que tal programa é estável o suficiente para não causar bugs e “quebrar” o sistema, além de garantir que o mesmo não contém código malicioso.

Além do controle de qualidade, também há o trabalho necessário para adicionar um novo programa em um repositório. Por mais que as empresas/comunidades sejam numerosas e profissionais, adicionar um programa em um repositório demanda tempo e muito trabalho.

São essas e outras razões que fazem com que muitos softwares bons e altamente utilizados acabem ficando de fora dos repositórios oficiais de algumas distros. E foi justamente para resolver este problema que foram criados os repositórios da comunidade.

Os repositórios comunitários

Qualquer pessoa que tenha conhecimento o suficiente pode adicionar um ou mais softwares nestes repositórios. Alguns exemplos bastante conhecidos são os PPA’s do Ubuntu, os COPR do Fedora (sobre os quais já falamos em artigos anteriores) e é claro, o AUR do Arch Linux.

Estes repositórios acabam sendo uma ótima “saída” para que muitos programas que de outra forma poderiam ser instalados apenas através de compilação manual, possam ser manipulados de uma forma mais simples, facilitando a vida dos usuários.

Todos os softwares presentes no AUR contém, além do programa em si, um script (PKGBUILD) de instalação. Estes scripts trabalhando em conjunto com o instalador (como por exemplo o “yay” e o “pamac”) e servem para evitar que o usuário precise realizar todo o processo de compilação manualmente, de forma que quase tudo é automatizado para você.

Como ativar o AUR no Manjaro

Se você for um usuário do Arch Linux (que é direcionado para usuários avançados) e já passou por todo o processo de instalação do sistema com sucesso, certamente utilizar o AUR não é um problema para você.

Por outro lado, se você for um usuário do Manjaro, uma derivação do Arch Linux que é focada em todos os tipos de usuários, preste a atenção no que vêm a seguir.

O AUR não vem ativado por padrão no Manjaro, porém ativá-lo está há poucos cliques de distância, e não é nada difícil. Conforme mostrado na imagem abaixo, no seu menu de aplicativos pesquise por “Adicionar/remover programas”, e então abra o software.

gerenciar-softwares-pamac-manjaro

Seja bem vindo ao Pamac! Através deste software você pode gerenciar todos os seus programas, sejam eles provindos dos repositórios oficiais do Manjaro/Arch, Snaps, Flatpaks ou AUR.

Para ativar o suporte ao AUR clique no menu de “…” no canto superior direito, clique em “Preferências”, digite a sua senha e pressione “Enter”. Agora na aba “AUR” ative o botão “Habilitar o suporte AUR”.

habilitanto-o-aur-no-pamac

Instalando softwares do AUR com o Pamac

Agora o AUR já está habilitado no seu sistema. Conforme pode ser visto na imagem abaixo, sempre que houver algum resultado correspondente será exibido a aba “AUR”, na lateral esquerda da janela do Pamac. Clicando nessa aba você verá todos os resultados para a sua pesquisa que estão disponíveis no repositório “AUR”.

pesquisando-por-softwares-no-aur-pamac

Para instalar clique no botão “Compilação” ao lado do pacote desejado, e então no canto inferior direito clique em “Aplicar”. Em seguida será exibida uma janela de diálogo exibindo todos os softwares que serão instalados/removidos, caso tudo esteja de acordo apenas clique em “Aplicar“. Caso seja exibida a janela “Importar chave GPG” clique sempre em “Confiar”.

instalando-um-software-do-aur-no-pamac

Por fim, será exibida uma janela com o resumo de tudo o que será instalado ou removido do seu sistema, caso você concorde basta clicar em “Aplicar”. Durante o processo de instalação a sua senha pode ser solicitada mais de uma vez, apenas digite-a e clique em “OK”.

Cuidado: nem tudo o que é AUR é ouro

O AUR é extremamente vasto, contém um número massivo de softwares e pode ser uma grande ajuda para os usuários do Arch Linux e seus derivados. Todavia, o mesmo aviso que se aplica aos PPA’s e aos COPR’s também vale para o AUR.

Qualquer pessoa, bem ou mal intencionada pode adicionar softwares no AUR, portanto seja cauteloso. Procure se informar sobre um pacote em questão antes de instalá-lo no seu sistema. Aceite dicas de softwares do AUR apenas de fontes confiáveis, e utilize-o apenas como último recurso.

Nós do Diolinux não nos responsabilizamos por problemas de qualquer natureza que possam vir a ocorrer devido a instalação de um software provindo do AUR ou de qualquer outro repositório. Faça por sua conta e risco!

Você já conhecia o AUR? Ou assim como caviar, era algo que você havia apenas ouvido falar? Conte para a gente como tem sido a sua experiência com estes repositórios comunitários, e vamos compartilhar o conhecimento!

Isso é tudo pessoal! 😉

Talvez Você Também Goste
DaVinci Resolve sem som no Linux? Veja como corrigir!
Continue lendo

DaVinci Resolve sem som no Linux? Veja como corrigir!

O DaVinci Resolve é um excelente software para produtores de conteúdo multimídia e funciona muito bem. Mas hoje tive um pequeno problema ao montar um Setup com ele e com o Ubuntu, onde o som não era reproduzido no sofware, felizmente, a solução é simples.