Traga a estabilidade para o seu dispositivo ARM através do Armbian

armbian no orangepi

E aí Pinguim? Se você é um entusiasta que chegou agora no mundo Linux ou já está por aqui há algum tempo, já deve ter se deparado alguma vez com o Debian. Além de ser a base de várias distros como Ubuntu, Linux Mint e muitas outras, o Debian é notavelmente reconhecido por sua estabilidade e recentemente, o Dio até explicou o porque dessa característica.

A equipe do projeto Armbian se valendo dessa base sólida, resolveu fazer jus ao slogan “O sistema operacional universal” e trouxe o Debian para os computadores de placa única (Single Board Computer – SBCs). E hoje eu convido você a conhecer mais sobre ele e também aprender como fazer a configuração básica e utilizá-lo como seu novo desktop, como um servidor de arquivos, como um filtro de propagandas ou como um servidor de mídia.

O que é o Armbian?

 Definição do Armbian, segundo os seus criadores e mantenedores:

“Armbian é um plataforma de sistema operacional de base para computadores de placa única (SBCs) na qual outros projetos podem confiar”

A distro é construída com foco nas SBCs utilizando como base o Debian e o Ubuntu, possuindo também ferramentas próprias que facilitam para os usuários mais avançados e também outros projetos, realizarem as adaptações de acordo com suas necessidades.

Na documentação oficial do projeto temos informações para usuários, desenvolvedores, futuros contribuidores e detalhes de compatibilidade. 

Qual a diferença do Armbian para o Debian ou Ubuntu?

No site do Armbian encontramos uma listagem com as placas que possuem suporte oficial pela distro, que no momento são 134, além disso, são mantidos pelo projeto 20 Kernels para essas placas. Muitas dessas SBCs não possuem suporte oficial pelo Debian ou Ubuntu e é nessa compatibilidade que o projeto Armbian trabalha (e trabalham muito bem) refinando a distro, removendo bugs, desenvolvendo soluções para os usuários que vão facilitar a utilização das suas placas como servidores de arquivo, servidores de mídia ou mesmo como um desktop otimizado!

Colocando a mão na massa

Neste tutorial vamos instalar o Armbian versão para servidor no Orange Pi. Iremos utilizar o balena Etcher para gravar a imagem do sistema no cartão MicroSD Classe 10. Talvez você se pergunte, posso utilizar outro cartão MicroSD? Pode sim, mas o desempenho será inferior.

Site do Armbian

Dentro área de Downloads procure pelo modelo da sua placa, ao entrar na página de detalhes, você vai se deparar com as imagens disponíveis para o modelo escolhido, no meu caso posso instalar a versão Ubuntu construído utilizando a base Focal Fossa (LTS) ou instalar a versão Debian Buster que até poucos dias atrás ainda era a versão estável. 

Opções de Download do Armbian

Temos a opção de utilizar outras versões do sistema, algumas com o desktop Xfce já customizado ou a versão servidor. Se você quiser, pode utilizar a versão que está em desenvolvimento e ajudar a reportar bugs ou mesmo se envolver com a comunidade.

Após baixar a imagem que é muito pequena (no meu caso 319 MB), é só extrair o arquivo e utilizar o balena Etcher para gravar o arquivo .img dentro do MicroSD e pronto, mais fácil que sair do VIM (Essa é para quem pegou a referência 😋).

Gravando imagem no cartão de memória com o Etcher

Ele está vivo!

Agora coloque o MicroSD na placa, ligar e aguardar o sistema iniciar. No meu caso como não tenho outro monitor disponível para utilizar o HMDI, vou realizar o acesso via SSH.

Para saber qual IP o meu Orange Pi pegou, vou entrar no meu roteador para verificar os dispositivos que estão ativos no momento, caso você não tenha acesso ao sistema do seu roteador pode utilizar o Angry IP Scanner.

Roteador mostrando lista de IP

Agora que temos o IP, realizar o acesso via SSH é muito simples e fácil, basta digitar no seu terminal o comando

ssh [email protected]

(não esqueça de trocar pelo seu IP)

Como essa é a primeira vez que estamos acessando o dispositivo via SSH, ele mostrará uma mensagem perguntando se queremos gravar a chave do servidor, podemos confirmar digitando “yes” e será solicitada a senha do usuário root (Obs: A senha padrão do root é 1234).

Terminal acessando dispositivo via SSH

Vamos ter o primeiro contato com o sistema operacional e antes de qualquer coisa teremos algumas tarefas a realizar na seguinte ordem:

  • Criar uma nova senha do usuário root;
  • Escolher o shell padrão;
  • Criar um novo usuário (com privilégios de root);
  • Criar uma senha para esse usuário;
  • Definir o timezone (Ex. America/Sao_Paulo);
  • Definir o idioma.

Depois disso podemos sair do terminal digitando “exit” e acessar novamente com o novo usuário que foi criado e voilá, temos a nossa SBC com o Armbian totalmente pronto para o uso.

Acessando OrangePi com o Armbian via SSH

Caso você deseje alterar informações, as configurações de rede, personalizar detalhes dos usuários e instalar pacotes já compilados pela equipe do Armbian é só utilizar o comando:

sudo armbian-config
Configurando o Armbian

E aí pinguim, o que você achou desse projeto? Você utilizou? Deixe suas experiências nos comentários e indicações de projetos para os próximos artigos e tutoriais. Um abraço e até a próxima!


Newsletter Diolinux
Talvez Você Também Goste
Como instalar o FFmpeg
Continue lendo

Como instalar o FFmpeg-NVENC no Ubuntu – Tutorial passo a passo

Olá! No tutorial de hoje você vai aprender a compilar o FFmpeg com o codec Nvidia NVENC habilitado no Ubuntu e seus derivados. O NVENC pode ser muito útil para quem faz captura de tela no Linux, ele permite que os games especialmente rodem com uma taxa de FPS muito próxima da original do game sem a gravação, o que sem dúvida é interessante.