Linux

ArcoLinux: a distro pensada para ensinar Linux

O ArcoLinux é uma distribuição baseada no Arch que deseja ser uma universidade do Linux, onde você pode aprender através da personalização de todo o processo, desde escolher quase qualquer ambiente gráfico disponível até criar o seu próprio arquivo ISO de instalação.

Pessoalmente, eu fiz essa trajetória e gostaria de contar um pouco sobre a minha experiência e, eventualmente, evitar que você cometa alguns erros que eu cometi.

ArcoLinux: você no controle da sua distribuição

O ArcoLinux é o sucessor da distribuição ArchMerge, descontinuada após a saída de alguns desenvolvedores. O nome foi uma exigência da equipe do Arch, que solicitou exclusividade sobre o prefixo; foi quando surgiu o nome Arco, tradução da palavra “arch” em muitas línguas.

Seu principal desenvolvedor é Erik Dubois que, sendo professor, já produziu mais de três mil vídeos no YouTube explicando cada aspecto da distribuição e do ambiente Linux. Muito acessível pelo seu canal do Discord, Erik conduz os seus “alunos” através das infinitas possibilidades de uma distribuição rolling release com dezenas de ambientes gráficos completos ou minimalistas (tiling windows managers).

ArcoLinux e a ferramenta Arch Linux Tweak Tool
ArcoLinux e a ferramenta Arch Linux Tweak Tool

Ele também desenvolve o Arch Linux Tweak Tool, uma ferramenta disponível para 14 distribuições ou sistemas baseados no Arch, que permite a você, de modo gráfico, customize muitos aspectos do seu sistema com simples cliques no mouse:

  1. ArcoLinux;
  2. Arch Linux;
  3. Alci;
  4. Carli;
  5. Ariser;
  6. EndeavourOS;
  7. Garuda;
  8. Manjaro;
  9. Xerolinux;
  10. Axyl;
  11. RebornOS;
  12. AmOs;
  13. Archcraft;
  14. CachyOS.

As edições do Arcolinux

O Arcolinux chama suas flavors de “edições” e elas são divididas em 4 grupos:

  1. ArcoLinuxS: a letra “S” significa “Small”, pois essa edição vem com o leve ambiente XFCE e nenhum aplicativo pré-instalado. O instalador Calamares permite que você personalize o seu sistema com aplicativos, kernels, drivers de vídeo ou instalando outro ambiente gráfico, ainda que, neste caso, você terá que baixar a maioria dos pacotes durante a instalação;
  2. ArcoLinuxD: instalação de sistema minimalista, sem um ambiente gráfico pré-instalado e sem drivers de serviços (vídeo, Wi-Fi, Bluetooth). A letra “D” quer dizer “Decida você mesmo”, pois o instalador Calamares permite que você faça as suas escolhas de kernel e dos drivers Nvidia ou AMD, baixando todos os pacotes necessários;
  3. ArcoLinuxB: escolha previamente qual ambiente gráfico deseja utilizar durante (Modo Live) e após a instalação. A letra “B” significa “Build” (construa a sua própria instalação), pois você pode escolher os drivers, inúmeros aplicativos divididos em categorias e cinco kernels diferentes (Padrão, LTS, Hardened, Zen e Xanmod);
  4. ArcoLinuxXL: a edição “Extra Large” ou “XL” vem com o ambiente XFCE, mas o arquivo ISO traz todos os aplicativos pré-instalados para você testar e, se faltar algo, o Calamares oferece muitos outros, além do suporte a todos os drivers e kernels.

Sendo o ArcoLinux uma distribuição rolling release, sugiro que você baixe o último arquivo ISO de instalação que estiver disponível, reduzindo o número de atualizações que serão instalados logo após a instalação.

Se você já sabe qual ambiente gráfico deseja, minha sugestão é que você comece pelo ArcoLinuxB correspondente. Caso você deseje baixar um arquivo ISO menor e baixar imediatamente os últimos pacotes, reduzindo o tempo pós-instalação, pode preferir o ArcoLinuxS ou ArcoLinuxD, de forma análoga a outras distribuições que fornecem um instalador via net (netinstall).

Por fim, se deseja testar ambientes gráficos e ver em qual se adapta, existe uma edição ArcoLinuxB específica para isso, a Xtended. Os ambientes gráficos disponíveis para instalação via ArcoLinuxB são:

  1. Awesome;
  2. Bspwm;
  3. Budgie;
  4. Cinnamon;
  5. Cutefish;
  6. cwm;
  7. Deepin;
  8. Dusk;
  9. Dwm;
  10. Fvwm3;
  11. GNOME;
  12. Hlwm;
  13. i3;
  14. Icewm;
  15. Jwm;
  16. Leftwm;
  17. LXQt;
  18. MATE;
  19. Openbox;
  20. Pantheon*;
  21. Plasma;
  22. Qtile;
  23. Spectrwm;
  24. Ukui;
  25. wmderland;
  26. XFCE;
  27. xmonad;
  28. Xtended (instalação de todos os ambientes gráficos anteriores).

O suporte experimental está chegando para os ambientes berry e worm, presentes apenas na ferramenta de tweak, mas não para baixar como um arquivo ISO independente.

* Nota: a edição Pantheon deve ser lançada nas próximas semanas.

O site do ArcoLinux

Para muitos, é o “ponto fraco” da distribuição, pois está desenhado para servir de roteiro para o aprendizado de uma distribuição Linux e, por isso, é muito confuso para o usuário final que quer tomar contato e baixar a distribuição.

Como “universidade” de uma distribuição Arch, os desenvolvedores pensaram num currículo dividido em 7 fases de aprendizado, sabendo que, para aprender, você precisa testar e vai errar muitas vezes. Comece por uma máquina virtual ou num computador reserva, até que ganhe experiência e comece a fazer as coisas olhos fechados.

Você também pode decidir até qual fase tem interesse em aprofundar.

Fase 1: comece pelo ArcoLinuxL e selecione uma opção que melhor se adapte ao seu hardware no momento da inicialização, facilitando o seu aprendizado de uma distribuição baseada no Arch. Use a instalação fácil (veja mais detalhes abaixo) e curta o ambiente XFCE e os aplicativos pré-instalados; aprenda a atualizar o seu sistema, instalar e remover aplicativos, os atalhos de teclado e a rapidez do uso dos “aliases”. Ao final, você já estará mais confortável num terminal;

Fase 2: após a sua jornada pelo XFCE, experimentar outros ambientes gráficos (desktops) e baixe o arquivo ISO correspondente do ArcoLinuxB; sugiro que você deixe o aprendizado dos Tiling Window Managers (TWM) e não “misture” interfaces ainda;

Fase 3: comece a testar os ambientes gráficos: use o arquivo ISO chamado Xtended, que contém o Openbox e todos os TWMs disponíveis no ArcoLinux. Escolha e baixe o ArcoLinuxB com outras interfaces e teste;

Fase 4: comece a usar a ferramenta Arch Linux Tweak Tool ou o instalador Calamares para “misturar” interfaces e TWMs, avançando no seu conhecimento;

Fase 5: com mais experiência com ambientes gráficos e TWMs, que tal construir o seu próprio arquivo ISO? O ArcoLinux fornece uma lista de pacotes básicos e você pode adicionar outros para personalizar o seu futuro sistema;

Fase 6: comece com o arquivo ISO do ArcoLinuxD e use os seus próprios scripts para instalar ambientes gráficos, aplicativos e configurações;

Fase 7: inicialmente pensada para instalar o Arch Linux pelo “Arch Way”, sem o instalador gráfico Calamares, começando com uma tela preta e digitando todos os comandos para construir um sistema operacional, você pode “substituir” essa fase pelo ArchInstall;

Fase 8: você pode querer aprender como criar a sua própria distribuição baseada no Arch Linux, navegando pelos projetos CARLI (Custom Arch Linux ISO) ou ALCI (Arch Linux Calamares Installer) para aprender tudo sobre repositórios, chaves, builds, etc.

A instalação do ArcoLinux

A tela de boas-vindas da distribuição oferece dois roteiros de instalação:

  1. Easy Installation: é a forma mais rápida, padronizada, e recomendada pelos desenvolvedores, pois utiliza os pacotes que já foram testados na criação do arquivo ISO;
  2. Advanced Installation: nesta forma de instalação, o Calamares oferece inúmeras possibilidades de drivers, serviços de login, ambientes de trabalho, temas, aplicativos e ferramentas; o instalador baixa e instala os pacotes mais recentes e, por isso, podem surgir incompatibilidades entre as suas escolhas.
ArcoLinux — Tela de boas-vindas com roteiros de instalação
ArcoLinux — Tela de boas-vindas com roteiros de instalação

Se você prefere fazer as escolhas dos seus aplicativos e instalar um sistema “pronto para ser usado”, use a instalação “Advanced” e, se algo de errado acontecer, teste novamente a “Easy”. Em ambos os casos, você pode criar as suas partições e definir os usuários com muita facilidade. O nome do usuário do Modo Live é liveuser, sem senha.

Além do Discord oficial do projeto, você também pode receber suporte no Fórum e no canal do Telegram. Ainda que poucas pessoas gostem do site, ele é a referência para a sua “jornada” dentro do ArcoLinux.

No vídeo abaixo, você pode acompanhar a instalação “Advanced” e sentir o gostinho do ArcoLinux.

E se você está se perguntando até que fase do aprendizado eu segui, diria que cheguei à fase 8, construindo o meu próprio instalador ALCI, mas não me sentiria frustrado se tivesse que parar na fase 4. Além disso, não se assuste, “pule” as “aulas” que forem muito específicas e lembre-se de que aprender se divertindo é muito melhor.

Você gostou do roteiro do ArcoLinux, a “universidade do Linux”? Quer saber mais sobre a minha aventura? Deixe o seu comentário e a gente se encontra no fórum do Diolinux.

Diolinux Ofertas - Aproveite os melhores descontos em diversos produtos!
64 postagens

Sobre o autor
Para mim, as melhores coisas da vida são gratuitas e não tem preço. Sou apaixonado por compartilhar conhecimento e experiências sobre tecnologia e software livre.
Artigos
    Postagens relacionadas
    VídeoLinux

    Qual o melhor Linux?

    VídeoLinux

    Por que tanta gente considera o Linux seguro?

    VídeoLinux

    Por que quem joga pelo PC não troca logo o Windows pelo Linux?