O LXQt (Lightweight Qt Desktop Environment) é uma coleção de softwares que juntos formam o que chamamos “ambiente desktop”. Sendo uma interface gráfica, que pode ser utilizada em diversos sistemas operacionais, e todas as aplicações que a compõem.

A ascensão do LXQt

O ambiente gráfico foi criado a partir dos projetos LXDE (Lightweight Desktop Environment) e Razor-Qt, é focado em leveza, estabilidade e teve a sua primeira versão lançada em 2013. Em 2018 o sistema operacional Lubuntu (uma das variações oficiais do Ubuntu), que até então utilizava o LXDE, adotou o LXQt como o seu ambiente desktop padrão.

lxqt desktop

A interface gráfica passou a ganhar mais popularidade, sendo conhecida até mesmo por usuários mais leigos que não necessariamente são entusiastas deste tipo de tecnologia.

As novidades do LXQt 1.0

O LXQt chega à versão 1.0, trazendo consigo um número expressivo de correções de bugs e novas funcionalidades, das quais podemos destacar:

Aprimoramentos no gerenciador de arquivos

O gerenciador de arquivos do LXQt, denominado “PCManFM-Qt”, é um dos protagonistas dessa nova versão e traz diversas novidades como: o suporte a sinalização de arquivos e pastas através de emblemas, personalização recursiva das pastas, novas opções no menu de contexto e aprimoramentos para tornar o efeito de rolagem mais suave.

Agora o “PCManFM-Qt” também mostra as opções de “montar”, “desmontar” e “ejetar” ao clicar com o botão direito do mouse sobre unidades de armazenamento como discos rígidos, SSD’s, pen drives, etc.

Por fim, o sistema de buscas do gerenciador de arquivos também foi aprimorado, ganhando melhor poder de busca e velocidade.

Outras melhorias da nova versão

Além do que foi mencionado até aqui, a nova versão do LXQt trouxe melhorias em diversas outras áreas, das quais podemos destacar:

  • Visualizador de imagens aprimorado com a capacidade de memorizar a largura da dock do software, nova opção para renomear imagens diretamente pelo app, a possibilidade de iniciar a aplicação em tela cheia via linha de comando e opções para exibir e esconder as barras de ferramentas e menus do app;
  • O gerenciador de energia do LXQt agora possui a opção de pausar a checagem por inatividade de 30 minutos à 4 horas, diretamente da bandeja do sistema;
  • O painel do LXQt agora possui melhor suporte a ícones no sistema de notificações;
  • Corrigida a navegação por teclado no menu principal;
  • Também foi corrigida a rolagem ao utilizar um “touchpad” ao utilizar a aplicação “LXImage Qt”;
  • Corrigido um “crash” no “QTerminal” ao ser utilizado no KDE Plasma com Wayland.

Além disso, também foram feitas diversas correções e melhorias “debaixo do capô”, no que diz respeito ao desempenho geral do sistema, bem como correções nas traduções do LXQt para diversos idiomas.

Leve, livre e gratuito!

O LXQt nunca foi um dos ambientes desktops que mais me atraiu, já que o mesmo não me agrada visualmente. Porém, isso é algo totalmente subjetivo. Não foram poucas as vezes que me deparei com pessoas que adoram o software, tanto visualmente quanto nos quesitos leveza e estabilidade.

Mesmo não sendo o meu preferido, é muito bom ver o LXQt finalmente alcançando a sua versão 1.0, e, provando ser mais um dos produtos de altíssima qualidade que são gratuitos e de código aberto.

Isso é tudo pessoal! 😉


Newsletter Diolinux
Talvez Você Também Goste
onlyoffice 7.0
Continue lendo

OnlyOffice 7.0 chega repleto de novos recursos

A suíte de escritório de código aberto OnlyOffice, chega em sua versão 7.0 trazendo diversas novidades como a criação de documentos com campos preenchíveis, proteção de planilhas e pastas de trabalho com senha.