Sem dúvida nenhuma, nossos celulares são mais valiosos agora do que dez anos atrás. Isso se deve ao fato de que muita coisa evoluiu e hoje em dia grande parte da nossa vida fica armazenada nesses dispositivos.

Já pensou no que aconteceria se seu smartphone fosse roubado? Você provavelmente não perderia apenas seu celular, mas também suas redes sociais, sua conta de e-mail, seus dados sigilosos e quem sabe até mesmo dinheiro.

Vamos falar um pouco sobre o problema de concentrar toda a nossa atividade de trabalho e nossa segurança nos nossos smartphones e o perigo que isso pode significar.

Muito mais que um telefone

Pensados para serem apenas telefones portáteis e realizarem chamadas, hoje em dia os nossos celulares são bem mais do que isso e possuem muitas outras funções, como conexão a internet, GPS, sincronização em tempo real e vários aplicativos que precisam de permissões no mínimo duvidosas (como calculadoras que pedem acesso ao microfone).

Isso ocorre porque teoricamente, portabilidade nunca é demais e quanto mais coisas pudéssemos fazer longe de um computador, melhor a vida seria. Há alguns anos, realizar uma transferência bancária só era possível através dos terminais nas agências e hoje em dia, até mesmo o WhatsApp nos permite realizar transações financeiras.

Além disso, todas as nossas contas ficam em nossos smartphones, sejam pessoais ou de trabalho e dependendo de suas funções na empresa, isso pode ser um perigo, já que  pode expor dados disponíveis.

A segurança depende apenas de você

Embora a cada momento novas tecnologias de segurança são descobertas e eventuais vulnerabilidades deixam de ser grandes ameaças, existe uma peça fundamental para a segurança que nem sempre se atualiza, estou falando do nosso cérebro.

Como estamos acostumados com a segurança dos dispositivos sendo corrigida, ficamos cada vez mais confiantes com a tecnologia e deixamos de nos preocupar em aumentar nossa segurança, seja trocando uma senha ou atualizando os nossos sistemas e aplicativos.

Note que grande parte dos golpes que ocorreram nos últimos anos deixaram de ser vírus poderosos enviados por e-mails, mas sim, elaborados golpes de engenharia social, onde o golpista introduzia uma história (como um patrocínio) e logo após enviava um software que iria roubar seus dados.

Hoje em dia, um golpe que vem se tornando bastante comum é roubar o celular e alterar a senha de acesso do aplicativo bancário, através de um código enviado em seu número ou e-mail (que geralmente estão no celular roubado) e após obterem acesso, fazem a limpa nas  contas bancárias existentes no dispositivo.

Dicas para aumentar sua segurança

Caso você seja uma pessoa preocupada com sua segurança e a de seus dados, preparamos uma série de dicas que irão evitar possíveis dores de cabeça no caso de perda ou roubo do seu smartphone.

Sempre tenha senhas diferentes

Bem, suponho que essa já é uma dica datada, mas nunca é demais falar sobre ela. A importância de ter senhas diferentes para cada serviço utilizado na web é fundamental, para que pessoas mal-intencionadas possam acessar aplicativos como E-mail, Instagram e armazenamento em nuvem.

Se assim como eu, você não possui uma ótima memória para guardar todas as suas senhas, um gerenciador de senhas pode ser um ótimo aliado e existem diversas soluções no mercado.

Dentre os meus preferidos, temos o Bitwarden, uma solução gratuita e open source que eu venho utilizando há um bom tempo e também o 1password que é uma solução paga e bastante funcional.

Várias interfaces gráficas possuem um sistema gerenciador de senhas próprio, caso você deseje utilizar uma solução que não possua sincronização em nuvem.

Autenticação em dois fatores (2FA)

Outro recurso importante que muitas vezes não ligamos para utilizar, é a autenticação de dois fatores. Ela trará uma nova camada de segurança para suas contas que além da senha padrão, utilizará uma senha aleatória gerada de curta duração.

Uma dica importante, é utilizar a autenticação de dois fatores via aplicativo, uma vez que utilizá-las através do e-mail ou SMS as deixaria menos segura, no caso de alguém ter acesso a seu celular.

Caso você queira aprender mais sobre 2FA, temos um artigo no blog falando sobre essa tecnologia.

Biometria, uma segunda camada de segurança

Se seu smartphone possui leitor de digitais, configurar sua biometria pode ser um passo de segurança muito interessante, visto que ninguém pode ter a mesma digital que você, além de abrir alguns aplicativos mais rapidamente.

Como sua forma principal de autenticação será a biometria, é possível utilizar senhas mais fortes e longas, fazendo com quem esteja com seu celular tenha que descobrir uma senha com vários dígitos ao invés de um padrão ou PIN.

Dificulte o acesso a aplicativos

Se você utiliza aplicativos de banco e quer evitar o uso indevido, uma boa forma pode ser dificultando o acesso a eles. Vários dispositivos possuem opções de adicionar senha e até mesmo ocultar aplicativos.

Isso pode te trazer uma certa segurança para o caso de uma eventual perda ou roubo, já que esses aplicativos não irão aparecer no menu e nem na pesquisa da interface, caso exista uma senha extra para acessá-los, o aplicativo terá uma camada extra de proteção.

Recursos de segurança do Smartphone 

Além das dicas citadas acima, cada smartphone traz funções de segurança únicas, como evitar desligar o Wi-Fi ou dados móveis, e, mesmo com o dispositivo com a tela bloqueada, acessar a localização e apagar todos os dados remotamente através de sua conta Google, ou após a senha ser digitada incorretamente após um número de vezes.

Explore todos esses recursos nas configurações do dispositivo e abuse deles.

Por que seguir as dicas acima?

Embora as dicas acima ainda dependa de seu smartphone para garantir parte da sua segurança, a maioria das soluções são multiplataforma e podem ser acessadas através de um navegador de internet ou aplicativos em seu computador

Você se preocupa com a sua segurança digital? Que outras dicas você deixaria para complementar o artigo?


Newsletter Diolinux
Talvez Você Também Goste