Tecnologia

PiVPN: o que é, como funciona e por que você deveria usá-lo

Cuidar da nossa privacidade online e controlar melhor o acesso aos nossos dados são preocupações cada vez mais necessárias, estamos conectados na internet quase que o tempo todo e as notícias sobre vazamentos de dados não param de aparecer.

Pensando nisso, neste artigo vamos apresentar o projeto PiVPN que pode transformar um Raspberry Pi em um servidor VPN local.

Quais as vantagens de um servidor PiVPN próprio?

Todos já estamos habituados a confiar em serviços como a NordVPN para aumentar a segurança da navegação em locais públicos. Mas, vamos conhecer também algumas das principais vantagens de usar um servidor próprio de VPN:

  • Você tem mais controle sobre os seus dados online, pois eles não passam por servidores de terceiros que podem rastrear, coletar ou vender as suas informações.
  • Acessar conteúdo online que podem estar bloqueados ou restritos na sua região, como sites de streaming, jogos ou redes sociais.
  • Evitar censura ou interferência do seu provedor de internet, que pode limitar a sua velocidade ou bloquear alguns sites ou serviços.
  • Economizar dinheiro, pois não precisa pagar por uma assinatura de um serviço de VPN comercial.
  • Não ficar limitado com as restrições que as assinaturas de serviços comerciais podem impor.

Quais as desvantagens?

É importante dizer que configurar um serviço desses, exige diversos cuidados com a segurança da sua rede local e equipamentos. Utilizar senhas complexas e seguir as melhores práticas é importantíssimo para não se expor seus dados de forma desprotegida na internet. Além disso, vale a pena considerar que:

  • A manutenção do hardware e do software será de sua total responsabilidade.
  • Não haverá o recurso de usar outras regiões do mundo como rota.
  • Pode ocorrer lentidão na navegação dependendo do número de clientes.
  • Não é possível roteador seu tráfego por meio de outros servidores.

O PiVPN é um projeto muito interessante, mas caso você prefira uma abordagem mais simplificada e que disponha de suporte profissional para te ajudar sempre que necessário, a NordVPN possui uma extensa documentação para te ajudar a instalar seu cliente em dispositivos Raspberry Pi.

Com planos a partir de R$ 13,90 mensais, outro benefício de optar pela NordVPN é que você passa a contar também com o protocolo NordLynx como uma opção segura de conexão, proteção contra malwares, verificador de vazamentos de dados, a rede de servidores globais para contornar restrições de acesso geográficas, clientes atualizados para todas as plataformas, incluindo sistemas operacionais como Android, Linux, iOS, Windows, ChromeCast e Playstation.

O que você vai precisar

Raspbian Servidor: nos meus testes, a instalação da versão mais recente do Raspbian consumiu em torno de 7.9 Gb de espaço em disco, mas é possível liberar bastante espaço removendo a interface gráfica e aplicações de escritório.

Segundo a documentação oficial, para instalar o PiVPN, você vai precisar de:

  • Um Raspberry Pi com o sistema operacional Raspbian instalado;
  • Cartão micro SD com pelo menos 8 Gb de espaço livre;
  • Cabo ethernet para conectar o Raspiberry Pi ao seu roteador.

Se você já possui acesso remoto, poderá fazer todas as configurações via SSH, porém, ter um monitor, teclado e mouse para configurar o Raspiberry Pi pode ser bem útil.

Modem/Roteador: para que você possa usar um servidor de VPN dentro da sua rede caseira, é necessário alterar as configurações da sua rede local para permitir acesso remoto a partir da internet pública ao endereço do servidor. É preciso muito cuidado ao efetuar estas configurações, porque ela pode expor sua rede e os dispositivos conectados nela a ataques via internet, então, não iremos cobri-la neste tutorial.

Caso sua conexão possua um IP dinâmico, para facilitar seu acesso remoto, você pode configurar um serviço de DNS automático como o NoIP ou o deSEC.io. Dessa forma, ao invés de usar seu IP para se conectar remotamente, você pode usar um endereço de domínio.

O poderoso PiVPN (e pequeno)

O PiVPN é um projeto de código livre (licença MIT) que permite criar uma rede privada virtual (VPN) usando o Raspiberry Pi, ele permite a utilização dos protocolos Wireguard e OpenVPN. Caso você não tenha um Raspberry disponível, ainda é possível utilizar um computador de baixo custo, desde que ele possa ser conectado à internet.

Os recursos do PiVPN incluem:

  • Suporta os protocolos OpenVPN 2.4 e WireGuard;
  • Chaves de criptografia de curva elíptica de até 512 bits;
  • Integra-se com Bitwarden;
  • Suporte para chaveiro do iOS;
  • Suporta vários provedores de DNS;
  • Suporta servidores DNS personalizados;
  • Domínios de pesquisa personalizados (somente OpenVPN);
  • Funciona com Pi-Hole;
  • Suporta qualquer sistema x86_64;
  • Oferece suporte à instalação autônoma para implantações automatizadas.

Mesmo com tantos recursos, para iniciar a instalação basta digitar o comando:

 curl -L https://install.pivpn.io | bash
pivpn script de instalacao

O assistente de instalação possui passos bem detalhados e explicativos, facilitando a configuração mesmo para pessoas menos experientes. 

Esperamos que este artigo tenha sido útil para você aprender como instalar o projeto PiVPN em seu Raspiberry Pi pode ser uma alternativa para aumentar seu controle sobre seus dados e conexão.

Se você tiver alguma dúvida ou sugestão, deixe um comentário abaixo. Obrigado pela leitura!

Diolinux Ofertas - Aproveite os melhores descontos em diversos produtos!
164 postagens

Sobre o autor
Entusiasta de tecnologia que sempre gostou de desmontar tudo, o que me levou ao interesse por software livre e todas as possibilidades que ele oferece. Sou Editor-chefe no blog Diolinux e também trabalho consultor de SEO, gestor de tráfego e otimização de presença digital. Mastodon
Artigos
Postagens relacionadas
Tecnologia

Tudo o que você precisa saber sobre os novos nomes de processadores Intel

VídeoTecnologia

O dia em que quase perdemos todos os dados do Diolinux Plus

Tecnologia

Diolinux Play já oferece 14 cursos sobre Linux e tecnologia!