Microsoft ataca o Google ( Sim, mais uma vez ) – Coletânea de “Ah morre diabo!”

Design sem nome 1 25

Agora o alvo foram os Chromebooks e blá, blá, blá

Me dei ao trabalho de fazer um levantamento de ataques da Microsoft em relação ao Google, e sério, eles já atacaram tudo que é serviço da “Gigante de Montain View”, duvida veja aí então:

Estes foram só para listar alguns, mas ainda podemos citar ataques tão patéticos quanto envolvendo não diretamente o Google, mas a concorrência como o Libre Office e o Software Livre de maneira geral.

E desse vez o alvo foi o ChromeBook, o computador móvel do Google que leva como sistema operacional o Chrome OS, um sistema voltado para internet com núcleo Linux.

Microsoft vs ChromeBooks

Eu não sei se eu me detenho na notícia eu se eu fico rindo da Microsoft, mas por via de regra, para você entender um pouco melhor, a Microsoft criou uma campanha contra o Google ( sim, mais uma ) no melhor estilo “Ah morre diabo!”, aquele tipo de “propaganda” que não tem bons argumentos e que no fundo quer dizer “para de me fazer perder dinheiro! #chateado =/”

Confira o vídeo da Microsoft anti-Chromebooks

Com o título de “Chromebook: Tudo o que você precisa?” em português, o vídeo faz uma comparação entre o Surface ( que travou já na estréia lembra? ) com o ChromeBook, o que claramente não faz sentido porque são dois aparelhos para públicos diferentes, o Chromebook tem total intenção de ser uma aparelho conectado a internet 100% do tempo, caso contrário algumas funções deles ficam restritas, pois basicamente ele é um navegador com funções de sistema operacional, como gerenciamento de arquivos, e o Surface é um Tablet com um tecladinho.

Um Chromebook não supriria, particularmente, as minhas necessidades como usuário porque eu realmente necessito de programas offline de um sistema operacional mais robusto, por isso uso o Ubuntu, mas isso não dá direito a se fazer uma campanha comparativa tão sem sentido quanto esta, Microsoft, compara o Surface com o iPad que faria mais sentido.

A comparação também foi feita em relação ao sistema operacional Chrome OS e o Windows 8, claro nesse ponto a nossa sensatez faz concordar de que o Windows é um sistema mais completo, mas mais uma vez não é o mesmo segmente e nem mesmo o mesmo tipo de usuário que usa as duas plataformas, para “provar” que o software é melhor eles usuram de artifícios como, Chrome OS não roda o Office, não roda o Photoshop, não roda o Illustrator, ou seja, suponhamos que a Adobe desse às contas para o Windows, o Windows 8 seria pouco diferente do sistema que ele está querendo abater.

Acho que a rixa se deve ao fato de que notebooks com Chrome OS venderam mais do que computador com Windows 8 na Amazon por exemplo, e o Windows 8 agradou muito pouca gente e até a Acer se mostrou contrária a ele, quanto aos ChromeBooks, nada impede que você formate o computador e instale outra distro Linux

Isso me faz pensar duas coisas também, como o Bill Gates deve se arrepender em não ter comprado o Google quando teve chance, nesse artigo falamos um pouco sobre as curiosidades da empresa e uma das passagens era que que Bill poderia ter comprado o Google em 2002 por apenas 2 Bilhões de Dólares.

A outra é que se metade desse esforço comercial fosse feito pela Canonical, sem querer comparar o faturamento das duas empresas, o Ubuntu estaria ainda mais longe do que já foi, propagandas são essencias para o crescimento, uma das mais criativas que eu vi nos últimos tempos foi do openSUSE.

Amigo leitor, ajude a espalhar a palavra ( isso mesmo, compartilhe esse artigo) e deixe a sua opinião nos comentários a respeito do assunto.

Microsoft, Bitch Please.


Newsletter Diolinux
Talvez Você Também Goste
Tablet da Microsoft
Continue lendo

Tablet da Microsoft

Com o Windows RT, a Microsoft espera entrar com força no mercado de tablets e roubar o espaço que hoje é dominado pelo iPad
Greg Kroah-Hartman explica qual a melhor versão do Kernel Linux para projetos de grande longevidade
Continue lendo

Greg Kroah-Hartman explica qual a melhor versão do Kernel Linux para projetos de grande longevidade

O termo "LTS", uma singla do inglês para "Long Term Support", é amplamente utilizado no mundo dos softwares. Se você conhece o Ubuntu, talvez já tenha ouvido falar no "Ubuntu 16.04 LTS" ou qualquer outro. Esses softwares recebem esse nome como forma de designação do tempo de suporte que seus mantenedores se propõem a mantê-lo.