Linux Mint 20.1 disponibiliza versão beta

Linux Mint 20.1 disponibiliza versão beta

Faz alguns meses que o Linux Mint 20 com codinome Ulyana foi lançado, utilizando a base do Ubuntu 20.04 e trazendo várias melhorias para seus usuários. O sistema que utiliza a interface Cinnamon e traz uma série de recursos, recentemente entrou em beta, para sua nova versão.

Apelidado de “Ulyssa”, o Linux Mint 20.1 continua trazendo recursos e novidades (em menor escala), além de certificar que teremos um sistema seguro e atualizado, utilizando as tecnologias mais recentes.

Quer saber um pouco mais sobre as novidades do sistema queridinho de vários usuários? Então prepare sua bebida favorita, pegue um pedaço de panetone (ou chocotone), e vamos falar sobre o presente de Natal dos desenvolvedores do Linux Mint.

Apps, apps e mais apps

A equipe do Linux Mint decidiu entregar alguns apps novos para compor seu sistema operacional. Embora essas aplicações possam não ser tão úteis em alguns casos, elas certamente oferecem um diferencial para o sistema operacional.

Hypnotix, uma nova forma de ver TV

O projeto que começou como um simples trabalho paralelo, é a grande novidade desta versão do Linux Mint. O Hypnotix é um player IPTV que oferece suporte para listas de reprodução M3U.

Segundo Clement Lefebvre, o mundo Linux anda carente de uma boa aplicação para IPTV e o Hypnotix é uma tentativa de suprir essa necessidade. Utilizando as listas M3U, é possível ver TV ao vivo, séries e filmes.

001

Por padrão, a aplicação traz um provedor de IPTV gratuito, chamado de Free-IPTV, que fornece canais de TV ao vivo disponíveis gratuitamente, porém, é possível adicionar novos provedores pela interface.

WebApp manager, trabalhando com WebApps

Caso você já tenha visto uma review do Peppermint ou até mesmo utilizado o sistema operacional, provavelmente deve conhecer o projeto ICE, que cria Web Apps a partir de qualquer navegador disponível no sistema.

O Linux Mint traz uma nova ferramenta baseada no ICE, com uma interface padronizada para se integrar melhor ao sistema. Essa aplicação pode ser bastante útil para pessoas que não utilizam navegadores com suporte nativo a PWA (Progressive WebApp).

002 webapp

Ele é uma opção bastante interessante para criação de WebApps, embora já tenhamos PWA’s nativos em navegadores que utilizam a base Chromium, além de também podermos utilizar o nativefier para WebApps.

Procurando arquivos pelo Nemo

O Nemo é o gerenciador de arquivos padrão do Cinnamon e a equipe não deixou ele de fora durante o processo de desenvolvimento. A nova versão do Nemo permite que o usuário possa salvar arquivos favoritos, permitindo que alguns aplicativos fiquem ainda mais fáceis de serem encontrados.

003 fvmenu

De forma semelhante aos arquivos e pastas fixadas, os favoritos também ficarão destacados dos arquivos “comuns”, além de possuírem uma seção exclusiva nos marcadores e aplicações do Linux Mint como Xed, Xreader, Warpinator, Pix, entre outras.

Os arquivos favoritos podem ser encontrados a partir do diretório no Nemo, um Applet no painel, uma seção no menu de aplicativos, além de estar disponível em qualquer aplicação que utilize GTK3.

Melhorias de impressão no sistema

O Linux Mint recebeu melhorias no suporte a impressoras e scanners que em suas versões anteriores dependiam da disponibilidade de drivers que deviam estar inclusos no Kernel ou adicionados manualmente pelo usuário do sistema.

Para a versão 20, a equipe planejava enviar o sistema com ippusbxd, uma implementação de IPP (Internet Print Protocol) sobre USB, que permitiria ao sistema utilizar impressoras sem um driver instalado.

Embora essa implementação pareça promissora, a presença do IPP ignorava a presença de drivers no sistema, e isso acabou trazendo mais problemas do que resolvendo os existentes. Por isso a equipe optou por trazer o antigo sistema de drivers ao menos por enquanto.

Outras melhorias do sistema

Dentre outras melhorias que a nova versão do Linux Mint trouxe, temos:

  • Aceleração de vídeo via hardware no Celluloid;
  • Migração do gerenciador de drivers para PackageKit;
  • Adição do navegador Chromium ao repositório do sistema.

Você utiliza o Linux Mint? O que achou dessa versão? Deixe pra gente nos comentários, e até o próximo artigo!

Talvez Você Também Goste