Google Meet será disponibilizado de graça para todos os usuários

Google Meet agora é gratuito

Nesta pandemia, a utilização de serviços de chamada em grupo tem crescido absurdamente. O Zoom, um dos principais serviços no segmento tem dominado este mercado, e segundo a Bloomberg, conta com mais de 300 milhões de usuários, apesar de suas diversas polêmicas envolvendo privacidade de dados.

O Google está pronto para disputar este mercado, e já possui dois concorrentes: O Hangouts e o Meet. Enquanto o primeiro tem foco em usuários casuais, o Meet era disponibilizado apenas para os clientes da G Suite, solução focada no público empresarial. 

A partir do dia 4 de maio, o Meet deixará de ser exclusivo para clientes pagos e se tornará gratuito para todos os usuários, exigindo apenas uma conta Google. Porém, haverão limitações para os usuários gratuitos: o limite de usuários em uma chamada para usuários pagos é de 250 pessoas, enquanto para os usuários gratuitos será de “apenas” 100.

As videoconferências terão um limite máximo de 60 minutos para usuários que não estão na G Suite, porém, o Google garante que este limite não será ativado antes de 30 de setembro.

Novidades

O Meet também recebeu algumas novidades: agora ele conta com uma organização em mosaico, que permite ver até 16 participantes de uma só vez. Anteriormente, só era possível visualizar até 4 participantes por vez. 

Uma das adições foi o modo “low light”, que consegue iluminar pessoas que estão em ambientes mais escuros através de inteligência artificial.

Outra novidade muito bem-vinda é a possibilidade de cancelar ruídos do ambiente, perfeito para quem trabalha perto de avenidas movimentadas, possui um teclado barulhento ou um cachorro que nunca para de latir.

O Google Meet está crescendo de maneira exponencial. A companhia informou que existem mais de 100 milhões de usuários ativos, e diariamente tem recebido mais 3 milhões de novos clientes. Com a liberação do Meet para todos os usuários, esse número deve crescer ainda mais.

O Google ainda informa que o serviço foi criado pensando na segurança, que claramente é uma provocação ao seu concorrente Zoom, que já passou por diversos problemas. Entre eles a possibilidade de “invadir” uma reunião alheia, além do envio de dados para o Facebook, mesmo se você não possuir uma conta na rede social. 

Foram divulgadas algumas medidas de segurança para deixar o Google Meet mais seguro:

  • O host da chamada possui a possibilidade de controlar a entrada de novos participantes, além mutar ou remover usuários;
  • Não será permitido entrar em uma reunião de maneira anônima, sem uma conta do Google;
  • Os códigos de reunião são complexos evitando um ataque através de adivinhação;
  • Todos os dados são encriptados tanto na transmissão, quanto no armazenamento;
  • Não é necessário utilizar plugins para acessar o Meet, diminuindo a chance de falhas de segurança;
  • Os usuários do Meet podem utilizar a ferramenta de Proteção Avançada do Google;
  • O Google garante que o Google Cloud passa por auditorias regulares;
  • Nenhum dado do Meet será utilizado para anúncios, nem vendidos para terceiros.

Apesar da data agendada para liberação do Google Meet ser 4 de maio, os recursos serão liberados gradativamente para os usuários, garantindo que todos tenham uma experiência confortável, sem travamentos e quedas. Também foi disponibilizado um formulário para ser avisado quando o Meet estiver disponível para você.

Se você tiver alguma dúvida sobre tecnologia, ou quiser compartilhar conhecimento com a comunidade, o Diolinux Plus é o espaço ideal para isso. Venha fazer parte da nossa comunidade!

Até a próxima!

Talvez Você Também Goste
Kdenlive para Windows é lançado oficialmente
Continue lendo

Kdenlive para Windows é lançado oficialmente

Na semana passada eu postei um vídeo no canal do blog Diolinux mostrando o Kdenlive, ainda em fase de testes, rodando no Windows, mas parece que a fase inicial de testes passou rápido e agora você já pode usar o que é considerada uma versão estável do programa.