Mandriva 2011 Review

Mandriva 2011 Review

Depois de horas contadas para o lançamento da versão 2011 do Mandriva Linux. A versão estável do SO sai do forno cheia de novidades.

Antes de mais nada quero dar os parabéns a equipe Mandriva, o sistema está muito bonito.

Esta experiência de uso foi com o Mandriva 2011 One:

Instalação:

Minhas conciderações começam por aqui, tirando o fato de que o sistema demorou demais ( em comparação com o Ubuntu) para carregar o versão live pen drive, de resto não há queixa. faz o que promete.  A instalação é totalmente gráfica e intuitiva coisa que não é nenhuma novidade na distribuição.

Primeiras Impressões: 

O Mandriva 2011 vem com a nova versão do KDE (4), com todas as suas facilidades e ‘dificuldades’, e um toque extra que lembra o dock do MAC desenvolvido por uma equipe russa especialmente para o Mandriva

A mesma equipe que desenvolveu o ‘menu iniciar’ do sistema que é o que chama mais atenção e lembra o menu

do Ubuntu 11.

Usabilidade:  A versão One já vem recheada de programas, tais como gerenciador de downloads Kget,

FlashPlayer, Firefox 4, Pidgin, Open Office.

Confesso que como não estava acostumado com o sistema demorei um pouco a entender o gerenciamento de pacotes do mesmo ( RPM) e o centro de softwares do Mandriva que diferente do Ubuntu e derivados ja vem configurando com os repositórios prontos, no Mandriva foi preciso adiciona-los manualmente, o ponto positivo é que não é preciso usar a linha de texto para isso.

Como tudo é questão de costume e sou um grande fã do ambiente Gnome 2x ( O 3 NÃO ¬¬) tive algumas dificuldades com o KDE 4.6 ( mas isso é questão de gosto).

A verdade é que o Mandriva 2011 me lembrou e muito o Windows 7. ( adicionando um Dock claro).

Tem abstinência total de linha de texto e é um sistema robusto sem dúvidas; a navegação no menu me lembrou ate um Ipad ou Iphone, o dock é bom, bom e só isso. 

Para quem gosta de personalização o Cairo Dock é muito mais funcional que este que vem por padrão.

O Clementine é o tocador de musicas padrão da distro.

Logo que é instalado o Mandriva apresenta uma internface bem limpa, tão limpa que chega a ser sem graça

Com um papel de parede azul sem maiores detalhes.

O diferencial:  Em comparação com o Ubuntu, o diferencial do Mandriva além do gerenciamento de pacotes que é o RPM ao contrário do Ubuntu que é DEB, o Mandriva 2011 manteve a peculiaridade que o diferencia de todas as outras distros O MCC ( Mandria Control Center)   que torna toda e qualquer configuração que se queira fazer mais fácil. E como sitei antes é a primeira disco que se pode fazer absolutamente tudo sem usar Linha de Texto, coisa que até o ubuntu nos seus ínfimos meandros faz uso ( Ponto positivo então!  ) Boa parte de softwares proprietários já instalados ( o que faz a ISO ser maior é verdade) o que poupa um certo tempo na configuração do Sistema.

Finalizando: Mandriva tem um foca específico no usuário final, por isso de tantas facilidades para a configuração dos sistema, nesse aspecto não deixa a desejar mesmo, tem uma comunidade bem ativa é que é um ótimo ponto a se considerar também.

De codinome ‘Hidrogênio’ o Mandriva 2011 se mostra uma boa distro para quem está começando mas que não é um completo leigo no assunto, na minha modesta opinião, um sistema bem estático e lembra o Windows para mim em algumas coisas.

Avc8BhztqJZOo4stXJHP mjDfuQLMm Oe noXCvQhEpPYDc9rNYplKv0pO0XK7zicThBvwInrmGmDbQ5RH6PTRL0k1WIBe2GUXG6iAsT iW3hO ugMqGo80lkjHky7mm9cLlEZ9

Nos botões das janelas por exemplo.

Para mais informações você pode verificar as notas oficiais de lançamento do SO  neste Link:

http://www.mandriva.com/br/linux/features/

Em suma, um bom sistema!

Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.


Newsletter Diolinux
Talvez Você Também Goste