Confirmado: GNOME Shell realmente sofre “Leaks de RAM’

Confirmado: GNOME Shell realmente sofre "Leaks de RAM'

Um dos ambientes gráficos mais populares do mundo Linux tem um problema sério e que afeta todas as distribuições Linux que o utilizam. Felizmente este problema não afeta a segurança do sistemas, mas pode se tornar muito inconveniente, especialmente em computadores com menos memória RAM disponível.

Com o “abraço” do Ubuntu ao GNOME novamente, muito mais olhos passaram a observar o projeto que já contava com o apoio de praticamente todas as principais distros. Quando eu fiz um vídeo sobre o consumo de RAM no GNOME eu estava pensando que era um caso exclusivo do Ubuntu, mas aparentemente eu estava enganado.

O problema na verdade afeta o GNOME em si e está sendo reportado por diversas pessoas ao redor do mundo provindas de comunidades de distros Linux diferentes.

O problema

Um “leak de RAM“, ou “vazamento de memória”, no sentido de que está sendo relatado como bug no GNOME acontece quando um processo em execução começa a consumir agressivamente memória RAM de forma arbitrária e sem necessidade.

No caso do GNOME o problema é com o GNOME Shell em específico, ou seja, a interface. Nos experimentos realizados o simples fato de ficar abrindo e fechando janelas no Shell ou mudando a forma de visão de “desktop” para “overview” acaba elevando pouco a pouco o consumo de RAM de forma indefinida.

Um usuário de Fedora fez a demonstração para que possamos entender melhor. Observe no vídeo o consumo no “Monitor do Sistema”.

Claro, o nosso amigo do vídeo acima está mostrando a versão 3.26 do GNOME Shell em execução, sendo que a versão mais recente (e que virá com o Ubuntu 18.04 LTS) é a versão 3.28. A má notícia é que o problema ainda não foi corrigido e o sistema virá com esse “bug de fábrica” muito provavelmente.

A gambiarra

Bom, visto que o problema ainda não tem solução e foi confirmado pelo nosso amigo Georges Neto, desenvolvedor da Endless e do GNOME que já nos concedeu uma entrevista inclusive, a única solução temporária é fazer um “reset” da interface para que a memória seja liberada de forma manual.

Para isso basta recarregar a interface, pressione “Alt+F2” e na janela que se abrir digite a letra “r”, após isso pressionar “enter”, isso deverá fazer com que o Shell se reinicie limpando a memória.

Obviamente o problema deverá ser corrigido com o tempo, o caso é que o pessoal do GNOME ainda não conseguiu identificar qual é o problema que está causando esse “leak”, então pode demorar um pouco.

Conte pra gente, você está sofrendo com este tipo de problema?

Até a próxima!


Newsletter Diolinux
Talvez Você Também Goste
Ubuntu 17.10 vai mudar o local dos indicadores no GNOME Shell
Continue lendo

Ubuntu 17.10 vai mudar o local dos indicadores no GNOME Shell

Depois de anunciarem a presença de uma Dock sempre visível do lado esquerdo na interface GNOME do Ubuntu 17.10, os desenvolvedores do Ubuntu anunciaram outra mudança que modificará um pouco a forma dos usuários interagirem com a interface do sistema, especialmente se comparando com o modo atual de operação do GNOME Shell.
Grid de apps do Gnome pode receber novidades
Continue lendo

Grid de apps do Gnome pode receber novidades

Recentemente abordei uma funcionalidade que está sendo implementada no grid de apps do Gnome-Shell, na qual possibilita “arrastar e soltar” as aplicações nas pastas e melhorar a organização da interface. Parece que mais novidades possam aparecer, deixando mais rico a experiência de utilização do usuário.