BleachBit tem nova versão de lançamento

Bleachbit

Uma das perguntas mais comuns aqui no blog ou nas lives, é se no Linux tem algum utilitário para fazer limpeza, como o CCleaner. Além dos comandos via terminal, temos algumas ferramentas, como o Stacer e o BleachBit, sobre o qual  vamos falar agora.

BleachBit, O Faxineiro

Se você estiver procurando um aplicativo simples para fazer limpezas corriqueiras no sistema, como cache, arquivos temporários e afins, o BleachBit pode ser uma boa pedida para você.

Em um passado “tão tão tão distante” 😁, fizemos uma postagem mostrando com era o programa e tudo mais. Hoje vamos dar aquele update e mostrar as novidades que chegaram desde aquela época.

Atualizações do BleachBit

Desde 2016, quando foi feita a nossa postagem, o projeto passou por várias melhorias e correções de bugs, assim como em qualquer programa, e elas vieram para melhorar ainda mais o BleachBit.

BleachBit

Clique aqui para conferir o anúncio de lançamento da versão 4.0.0 do BleachBit, as principais alterações para esta versão foram:

  • O aplicativo foi atualizado para o Python 3 em vez do Python 2; 
  • Adicionado limpador para Discord; 
  • Limpe mais do Google Chrome: IndexDB;
  • Limpe mais do Firefox: cookies, histórico;
  • Limpe muito mais do Opera;
  • Limpe muito mais do gPodder;
  • Melhorada a capacidade de resposta da janela do aplicativo durante a limpeza;
  • Correção das limpezas personalizadas em pastas quando a opção de substituição de arquivos estiver aberta;
  • Correção de limpeza do VLC;
  • Corrigida janela do aplicativo que não aparecia ou desaparecia; 
  • Corrigida a notificação pop-up de quando a limpeza é concluída; 
  • Corrigido o botão de copiar na janela de diagnóstico.

Como o programa pode ser usado tanto no Linux quanto no Windows, também houveram algumas correções específicas para cada sistema.

No Linux:

  • Suporte para o Python 3 deixa o BleachBit compatível com as distros mais modernas, como o Ubuntu, que retiraram o suporte ao Python 2;
  • Os processos de limpeza “dnf autoremove” e “apt autoremove” são acionados automaticamente (dependendo da distro usada), se você esquecer de habilitá-los;
  • Pacotes para as distros Fedora e openSUSE Tumbleweed adicionados.

No Windows

  • Adicionado a opção de usar temas Escuro (Dark) ou Claro (Light) no Windows 10;
  • Update SQLite do 3.28 para 3.31.1;
  • Correção: arquivos que eram deixados após a limpeza de uma unidade;
  • Adicionado traduções para GTK Stock Messages, como OK e Cancel;
  • Adicionado nomes de limpadores para o Microsoft Edge no Winapp2.ini.

Download do BleachBit

Para baixar o BleachBit é bem simples, além da versão para Windows e ele está disponível para praticamente todas as principais distros Linux do mercado.

A versão de Windows, o download pode ser feito através do seguinte link: 

Já na versão para Linux, você pode escolher entre CentOS, Debian, Fedora, Linux Mint, Ubuntu e openSUSE. Para baixar basta acessar o link a seguir e escolher a sua distro. 

Nota importante: Se você estiver usando o Ubuntu 20.04, por hora a equipe do BleachBit recomenda utilizar o pacote para o Ubuntu 19.04 e para o Fedora 32 recomenda-se a versão do Fedora 31.

É muito bom ver que ferramentas como o BleachBit continuam evoluindo, corrigindo bugs e dando updates no código do programa, isso é extremamente importante.

Em caso de dúvidas acessem o nosso fórum, o Diolinux Plus. Nos vemos no próximo artigo, forte abraço!

Talvez Você Também Goste