Como utilizar o Inkscape em modo Full Dark

Utilizar programas, sites, ou até mesmo todo o sistema em modo escuro é algo que tem se tornado cada vez mais popular entre os usuários, e pode ser um grande alívio para os olhos de pessoas que passam várias horas trabalhando em frente ao computador. Veja agora como utilizar o Inkscape com um visual “full dark”.  

O Inkscape é um editor de imagens e documentos vetoriais que pode ser utilizado desde o usuário mais amador, que utiliza o programa apenas ocasionalmente, até o mais profissional, que passa várias horas por dia utilizando o software.   

Muitos usuários acabam tendo dificuldades em configurar uma interface “full dark”, com os menus e também o “canvas” em tons escuros no Inkscape. Ao acessar a sessão “Tema” na janela de “Preferências” é possível alterarmos os temas da interface e também dos ícones, podendo inclusive selecionar temas escuros. Todavia, nessa janela de personalização não existe opção para alterar a cor do “canvas”, que continua branco mesmo após ter sido selecionado um tema “dark”.  

Visual do Inkscape utilizando um tema dark antes da realização do procedimento.

O quê nem todos sabem é que, sim, o Inkscape possui uma opção que permite ao usuário selecionar qualquer cor para ser utilizada como plano de fundo para o “canvas”. E é isso o quê vamos fazer agora!

O Procedimento

Primeiro vamos selecionar o tema que será aplicado na interface e menus do software. Para isso, no canto superior esquerdo clique em “Editar”, e em seguida em “Preferências”. Na janela que se abriu, na lateral esquerda, clique na seção “Interface” e então na aba “Theme”.  

Conforme pode ser visto na imagem abaixo, selecione o tema dark da sua preferência. Caso o tema utilizado no seu sistema seja o mesmo que você quer utilizar no Inkscape, basta deixar a opção “Use system theme” selecionada. O tema de ícones também pode ser alterado, então caso necessário você também pode alterá-lo por aqui.  

Mesmo após ter realizado esses procedimentos, o “canvas” ainda estará branco, porém todo o restante da interface já estará utilizando um tema escuro.  

Agora para alterar a cor do plano de fundo do seu “canvas”, no canto superior esquerdo clique em “Arquivo”, e em seguida em “Propriedades do desenho…”. Na janela que se abriu, no canto inferior esquerdo você encontrará a seção “Pano de fundo”. Clique em “Cor de pano de fundo”, selecione uma cor de sua preferência, e lembre-se de setar o canal alfa para “0”, assim evitando que as suas imagens sejam exportadas com um fundo preto (ou de qualquer outra cor que você tenha selecionado).  

Feito isso, nos resta apenas um passo.  

Nesse momento a interface do seu Inkscape já deve estar de acordo com o tema que você selecionou, bem como o “canvas” já deve estar exibindo a cor que você escolheu. Para salvar as modificações como padrão, novamente clique em “Arquivo”, e então em “Salvar como”. Agora salve o arquivo no diretório “/home/<usuário>/.config/inkscape/templates/” com o nome de “default.svg”.  

Caso você esteja utilizando o Inkscape na versão Flatpak, o arquivo de mesmo nome deve ser salvo em:  

/home/<usuário>/.var/app/org.inkscape.Inkscape/config/inkscape/templates/”.  

Pronto! A partir de agora toda vez que você iniciar o Inkscape o mesmo estará apresentando uma interface com um visual “full-dark”. Caso queira reverter o “canvas” para as suas cofigurações originais, basta excluir o arquivo “default.svg” previamente criado. 😀  

Visual do Inkscape com o tema dark, após a realização do procedimento de alteração de cor do canvas.

Você tem o hábito de utilizar os seus softwares em “dark mode”? Já sabia como realizar esse procedimento no Inkscape? Conte mais nos comentário! 😁  

O recurso de alteração de temas nas configurações do Inkscape estão presentes apenas a partir da versão 1.0 Beta, que encontra-se disponível para download no site oficial do projeto, bem como nos repositórios do Fedora 31.

Você gosta de Linux e tecnologia? Tem alguma dúvida ou problema que não consegue resolver? Venha fazer parte da nossa comunidade no fórum Diolinux Plus!   

Isso é tudo pessoal! 😉


Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.

Talvez Você Também Goste
Deepin 15.10 - O que fazer depois de instalar
Continue lendo

Deepin 15.10 – O que fazer depois de instalar

O Deepin é uma das distribuições Linux com maior apelo visual, é aquele tipo de design que: “Ou você ama, ou odeia”. Seja pelo “blur”, diversos conceitos de outras interfaces gráficas agregadas, consistência visual ou os aplicativos desenvolvidos para distribuição. Caso você pretenda instalar a nova versão lançada, o Deepin 15.10, este post é justamente demonstrando um pós-instalação “de o que você deve fazer” após instalar o sistema.
Crie mapas mentais no Linux com o Heimer
Continue lendo

Crie mapas mentais no Linux com o Heimer

Mapas mentais podem auxiliar em muito a organização de ideais evitando a perda de detalhes, algo que aparenta ser trivial pode ditar o destino de um projeto. Afinal, caso não seja planejado adequadamente, mesmo sendo de extremo valor, as possibilidades do fracasso são altíssimas e quase eminente. Soluções no mercado existem aos montes, e Heimer é uma boa opção.