Novidades do Gnome Shell para o mês de novembro

Novidades do Gnome Shell para o mês de novembro

O Gnome Shell recebeu uma grande quantidade de melhorias neste mês de novembro, desde limpeza e polimento de códigos e algumas correções de bugs.

O libcroco, uma biblioteca que manipula códigos CSS foi removida, e agora os arquivos serão importados e manipulados pelo St (Shell Toolkit). Segundo os próprios desenvolvedores do Gnome, o libcroco já era uma solução bem datada.

Houve também melhorias na grade de aplicativos. O Gnome 3.34 chegou com uma funcionalidade de agrupar ícones em categorias, porém foi encontrado um bug onde os ícones não estavam sendo destruídos corretamente, fazendo com que os ícones começassem a se multiplicar com o tempo. Este bug foi corrigido e liberado inclusive para a versão 3.34 do Gnome.  

Outra novidade na grade de aplicativos é uma melhoria na animação do ícone de paginação, como pode ser visualizado no vídeo abaixo:    

Uma novidade (muito aguardada por mim, inclusive) é a de que o Gnome Shell agora respeitará a fonte do sistema, definida no painel de configurações, sem a necessidade de customizar isso através de CSS no tema.  

O Mutter, gerenciador de janelas do Gnome também recebeu algumas novidades:  

Quando o Gnome Shell e os aplicativos “se desenham”, eles informam exatamente qual parte do aplicativo foi alterada. Até o Gnome 3.34, O Mutter informava toda a área onde a informação foi alterada, como o retângulo azul da imagem abaixo informa.  

mutter-redraw-antigo-3.34

A partir de agora, ele informa apenas o conteúdo exato que foi alterado, diminuindo a quantidade de informação repassada, otimizando o desempenho. Na imagem abaixo, podemos ver em vermelho apenas as partes onde o conteúdo foi alterado e repassado para o gerenciador de janelas.  

mutter-redraw-atual-novidade

Segundo os testes dos desenvolvedores, esta mudança gera uma melhoria considerável de desempenho, pois os frames enviados ao Mutter podem ser reduzidos em até 44%.  

Em algumas situações o shadow buffer será utilizado pelo backend para renderizar o conteúdo antes de enviar para o buffer principal, que enviará as informações para o painel. Segundo os próprios desenvolvedores, apesar de parecer contra-produtivo, esta manobra melhora consideravelmente a performance em alguns casos de uso.  

Entre diversas outras melhorias menores, estão:

  • Agora o Gnome Shell impede de redesenhar toda a tela quanto utilizado o dma-buf ou o EGLImage em Wayland. Isso reduz a quantidade de dados transferidos entre CPU, GPU e monitor, melhorando o desempenho e economizando bateria;
  • Limpeza de código no Clutter e Cogl, removendo funções e ferramentas que não são mais utilizadas. Mais de 28.000 linhas de código foram removidas;
  • Jogos no Xwayland que rodam em tela cheia e alteram a resolução de tela devem ter um melhor comportamento agora;
  • Algumas outras correções de bug como vazamentos de memória, entre diversos outros.

O que você achou das novidades? Está ansioso para a nova versão do Gnome? Deixe nos comentários!  

Se você tiver alguma dúvida sobre tecnologia, ou quiser compartilhar conhecimento com a comunidade, o Diolinux Plus é o espaço ideal para isso. Vem fazer parte da nossa comunidade!  

Até a próxima!


Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.

Talvez Você Também Goste