DXVK 1.5 é lançado e com D9VK incorporado

DXVK

Uma das gratas surpresas do ano de 2019, foi o projeto DXVK, que começou “desconhecido” e que agora figura como uma das mais importantes “engrenagens” para compatibilizar os jogos feitos somente para Windows no Linux.    

Para quem está “chegando agora” e não está entendendo muito, o projeto DXVK é um “intérprete” entre do DirectX para o Vulkan, e juntamente com o Wine torna possível jogar milhares de games feitos somente para Windows no Linux. Para ver a nossa cobertura sobre o DXVK, você pode conferir as matérias aqui.   

Até então, o DXVK “cobria” somente as versões 10 e 11 do DirectX, e a versão 12, porém ainda em beta. Já o DirectX 9 ainda não tinha uma cobertura, e foi aí que surgiu o projeto D9VK que faz exatamente essa cobertura. Com o D9VK, vários jogos começaram a rodar de forma satisfatória, como o Batman Arkham Asylum, Dead Space 1 e 2, Mass Effect 1 e 2 entre outros. Mas agora, tudo será em um só projeto. Com isso os jogos em Dx9 poderão ter um desempenho melhor usando o Wine/SteamPlay (Proton), pois antes era utilizada a “tradução” do WineD3D para o OpenGL.  

Agora o DXVK cobre todas as versões do DirectX (Dx) em um único código, sem a necessidade de dois projetos para o “mesmo fim”. Com isso, a versão 1.5 do DXVK fará essa cobertura completa.  

Alguns jogos foram melhorados nesta versão, como o Atelier Ryza, Crysis 3, Fifa 19, Star Citizen e Halo: The Master Chief Collection. Para ver todas as melhorias no DXVK, você pode consultar aqui.  

Teve uma declaração de Philip Rebohle, criador do DXVK, ao site GamingOnLinux, que foi a seguinte:  

“Basicamente, não mudará muita coisa, os bugs ainda serão corrigidos e, se um jogo exigir que um recurso seja executado, ele será implementado. O DXVK está mais ou menos completo há algum tempo, e a maioria das alterações nas versões 1.4.x eram correções de bugs e algumas otimizações pontuais. O que eu quero evitar daqui para frente são alterações em larga escala na base do código, pois elas tendem a introduzir falhas, e está ficando cada vez mais difícil depurar novos problemas.”

Pra mim, isso é muito bom e creio que vá melhorar e muito essa migração dos jogos para Linux, principalmente os “mais antigos” e que usam o Dx9 ou alguns mais novos como o LoL por exemplo, podendo ganhar um “up” na performance e assim trazendo novos usuários. Espero também que o Proton possa migrar em breve para a base do Wine 5.0, assim podendo trazer mais melhorias e novidades.  

Este artigo não acaba aqui, continue trocando uma ideia lá no nosso fórum. Espero você até a próxima, um forte abraço.  


Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.

Talvez Você Também Goste
Mais um grande jogo oficialmente anunciado para Linux
Continue lendo

Mais um grande jogo oficialmente anunciado para Linux

Cada vez mais vemos aquele velho mito de “Linux não roda jogo” ser desmistificado. Agora chegou a vez de “Troy”, o mais novo jogo da saga “Total War” ser lançado oficialmente para o sistema do pinguim. O jogo estará disponível aos jogadores brevemente após o lançamento para Windows, em 2020.