Fedora está se despedindo da arquitetura de 32 bits

Fedora está se despedindo da arquitetura de 32 bits

Há pouco tempo atrás, um anúncio polêmico da Canonical fez com que usuários se manifestassem contra o não suporte à arquitetura de 32 bits no Ubuntu. Agora chegou a vez do Fedora fazer o mesmo anúncio para às suas próximas versões.      

À partir da versão 31, o Fedora não mais suportará o Kernel de 32 bits, consequentemente, também não haverá mais imagens de 32 bits do sistema disponíveis para download. Esta mudança fará com que os pouquíssimos hardwares remanescentes sem suporte a 64 bits deixem de funcionar com o sistema. Todavia, é importante ressaltar que o Fedora continuará mantendo pacotes de 32 bits nos seus repositórios, muitos dos seus softwares i686 continuarão funcionando no sistema.  

Desde a versão 27, o suporte a arquitetura de 32 bits no Fedora vem sendo mantido pela comunidade, infelizmente, não existe mais um número suficiente de membros da comunidade dispostos a trabalhar para manter a arquitetura. O quê está resultando na descontinuação do suporte a mesma.  

Porém, a não ser que você utilize um hardware muito antigo que não funciona com sistemas de 64 bits, não há muitos motivos para preocupação. O suporte a 32 bits não será abandonado por completo. Apenas o Kernel e as imagens de instalação i686 deixarão de ser mantidas. Muitos pacotes de 32 bits continuarão sendo suportados pelo sistema, o que assegurará o funcionamento de softwares, como por exemplo o Wine e a Steam.  

Quem estiver utilizando o Fedora 30 na versão de 32 bits, continuará recebendo updates até Maio ou Junho de 2020. À partir dessa data, se você pretende continuar utilizando o Fedora, terá que reinstalar o sistema na sua versão atual de 64 bits, ou então fazer upgrade para um hardware que suporte 64 bits.  

Para aqueles que estiverem utilizando o Fedora em servidores antigos com suporte a apenas 32 bits, o mais indicado é uma atualização de hardware. Geralmente o baixo consumo de energia de hardwares mais novos, acabam compensando pelo valor investido. Caso atualizar o hardware não seja uma opção, o CentOS 7 possui uma imagem de 32 bits com um tempo mais longo de suporte.  

Se você pretende continuar utilizando uma versão antiga do Fedora, com suporte a 32 bits, saiba que é algo que o pessoal do Fedora e, nós do Diolinux também, fortemente contra indicamos. Dia e noite existem pessoas mal intencionadas trabalhando em códigos maliciosos a fim de explorar vulnerabilidades em sistemas operacionais. Se você estiver utilizando um sistema novo e atualizado, significa que existem profissionais trabalhando para corrigir possíveis brechas e manter a segurança dos usuários. Por outro lado, usuários em sistemas antigos, que não possuem mais atualizações de segurança são presas fáceis para essas pessoas mal intencionadas.   

Penso que o fim do suporte ao 32 bits é o caminho natural da tecnologia, ainda acho que o Fedora está fazendo isso da maneira correta. O suporte não está sendo abandonado por completo. Dessa forma, o tempo e recursos que antes eram investidos no que está perdendo o suporte, agora poderão ser investidos em coisas mais importantes. Ao mesmo tempo, ao continuar mantendo uma grande parte dos pacotes, como aqueles necessários para o funcionamento do Wine e Steam, os usuários também não ficam “na mão”.  

O quê você pensa sobre o rumo que as distros estão tomando em relação ao abandono da arquitetura de 32 bits? E o que você acha sobre a forma com que o Fedora está fazendo isso? Conte-nos nos comentários.  

Você gosta de Linux e tecnologia? Tem alguma dúvida ou problema que não consegue resolver? Venha fazer parte da nossa comunidade no Diolinux Plus!   

Por hoje é tudo pessoal! 😉  


Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.

Talvez Você Também Goste