Embutils – Uma alternativa aos comandos padrões do seu Linux

Embutils - Uma alternativa aos comandos padrões do seu Linux

Embutils, assim como o “coreutils”, do projeto “GNU”, é um pacote que possui um conjunto de comandos para a administração do sistema. Como descrito no site oficial do embutils, a maioria do userland tipico do “Unix” vem ou do projeto “GNU”, ou da galera do “BSD”. Essas fontes são antigas e otimizadas para recursos, mas não para manter seu tamanho reduzido, e agora que os computadores são rápidos o suficiente e possuem muita RAM, implementações se tornam cada vez maiores.

Essa é a maior diferença entre o “coreutils” do GNU e o “embutils“, pois o “embutils” é pensado em manter o tamanho final do seu binário  bem reduzido mesmo nos tempos atuais, porém mantendo as mesmas características de recursos dos projetos anteriores citados.

Para dispositivos embarcados o “embutils” seria um prato cheio (que é o propósito primário que o “embutils” foi pensado), porém podemos utilizá-lo em desktops e servidores ou sei lá aonde mais.

Eu disse seria? SIM! Dois motivos que o atrapalhariam na adoção para embarcados é que seu desenvolvimento parou já faz quase dez anos e isso poderia gerar desinteresse por parte de desenvolvedores (como também pode ser que não). A “dietlibc” recebeu seu ultimo suporte pelo projeto oficial há cinco anos atrás, porém a biblioteca continua sendo utilizada por outros projetos como as próprias distribuições Debian e Ubuntu. Podemos verificar que a dietlibc ainda consta nos repositórios:

dietlibc-no-repositório-do-ubuntu-mate
É uma biblioteca incrível que mantem o tamanho final do binário muito enxuto e possui suporte a uma boa quantidade de arquiteturas. 

O segundo motivo é que com o declínio da GPL (como pode ser lido clicando aqui), isso pode ser um motivo para afastar o interesse de empresas e projetos.

O “embutils” possui também o comando “uname” assim como o “coreutils” do “GNU” e o como o “toybox” (nenhum dos três compartilham códigos iguais, sendo totalmente escritos do zero) e sua saída do comando “uname” do “embutils” também não consta o termo “GNU/Linux” em nenhuma de suas opções (assim como não consta nas saídas do “toybox” como pode ser lido no artigo Como conheci o Alpine Linux). Gostem de saber disso ou não, mas o termo “GNU/Linux” no comando “uname” do “coreutils” foi uma forma que a FSF fez para se promover e querer que as pessoas chamem o sistema operacional.

comando-uname-do-embutils-utilizado-para-verificar-o-sistema-operacional

Bom, por hora é só e em breve falaremos do conjunto de comandos para o mesmo propósito do sistema operacional “Plan9” 😉

Talvez Você Também Goste
Top 14 - Melhores games lançados para Linux em 2016
Continue lendo

Top 14 – Melhores games lançados para Linux em 2016

O ano de 2017 acabou de começar e muitas coisas bacanas estão para chegar no mundo dos games para Linux. O ano de 2016 foi um bom ano para quem gosta de jogar no Linux, vamos juntar os 14 títulos que foram lançados no ano passado e que nós achamos que merecem um maior destaque.
Microsoft torna-se membro Platinum da Linux Foundation
Continue lendo

Microsoft torna-se membro Platinum da Linux Foundation

A notícia da Microsoft juntando-se à Linux Foundation não chega a ser surpreendente, mas curiosamente eu falei sobre este assunto na semana passada, comentando justamente sobre a aproximação da empresa do mundo Linux e dizendo porque ela foi acolhida de braços abertos, acho que vale a pena a leitura, mas vamos à notícia.