Google Play Music Desktop para Linux – Download

Google Play Music Desktop para Linux

Hoje em dia esta muito mais fácil consumir música de maneira legal através de serviços como o Spotify, iTunes, Google Play Music e por aí vai. Na dica de hoje vamos falar especificamente do Google Play Music e de seu cliente open source.

Se você é um usuário Android, é possível que você seja um cliente da Google Play Music e tenha comprado alguns álbuns ou músicas em separado por lá. Apesar de ser possível acessar o serviço pelo navegador, um aplicativo desktop como este pode melhorar a sua experiência.

Google Play Music

Cabe salientar que você não poderá usar este player, pelo menos por enquanto, para reproduzir músicas que estejam no computador localmente, ele é basicamente para streaming da Google Play Music, porém, é possível integrar também a sua conta no last.fm nele também.

Configurações

Ele também tem suporte há alguns temas de cores que você pode escolher, há a opção de usar um mini player flutuante que fica sobre as janelas na área de trabalho, usar teclas de atalho e configurar a saída de áudio. O Google Play Music Desktop também coloca um ícone do player na tray do seu sistema.

Download do Google Play Music Desktop

O Google Play Music Desktop está sendo um sucesso, sendo o site pelo menos são mais de 11 milhões de downloads da aplicação, clique no botão abaixo para ir até a página de download.

Para quem procura um player que seja capaz de integrar vários serviços de streaming musical o Nuvola deve ser uma opção mais satisfatória.

Até a próxima!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Talvez Você Também Goste
Novidades que estão chegando no Fedora 31 Workstation
Continue lendo

Novidades que estão chegando no Fedora 31 Workstation

Quem chega ao mundo do Linux, sempre é apresentado a algumas opções para usar em seu PC, dentro dessas opções está o Fedora. Em resumo, o Fedora é uma versão comunitária do RHEL (Red Hat Enterprise Linux) e apoiada pela própria Red Hat. Geralmente é no Fedora que recursos serão testados e usados no RHEL.