SteamOS perde para o Windows 10 em testes de benchmarks

SteamOS perde para o Windows 10 em testes de benchmarks

O pessoal do ARS Technica fez uma análise comparativa entre o desempenho das novas Steam Machines que estão chegando ao mercado com o SteamOS, baseado em Linux, e o Windows 10, a mais recente versão do sistema da Microsoft.

Ainda não é tudo o que pode ser

Uma análise comparativa mostrou que o Linux ainda não oferece todo o potencial que pode oferecer, muito em parte por conta do OpenGL. O teste da ARS Technica instalou em dual boot o Windows 10 com o SteamOS em uma recém lançada Steam Machine para fazer alguns testes.

Para testar ambos os sistemas eles usaram o GeekBench para fazer Benchmarks, onde o Windows 10 teve uma leve vantagem, nada muito significante, para comparar games foram utilizados, Shadow Of Mordor e Metro: Last Light Redux, ambos games com gráficos bastante pesados.

Veja também: Confira o nosso gameplay de Shadow of Mordor.

Depois foram testados alguns games que usam a Source 2, a Engine da Valve, vamos conferir os gráficos:

Benchmarks Windows 10 vs SteamOS
Benchmarks Windows 10 vs SteamOS
Benchmarks Windows 10 vs SteamOS

Como podemos ver nos gráficos, praticamente em todos os testes o Windows 10 teve um desempenho consideravelmente superior, você pode ver o hardware utilizado logo abaixo:

Hardware Steam Machine

Como isso podemos ver que ainda há estrada para percorrer, apesar de agora termos muitos títulos perfeitamente jogáveis no Linux, o requisito de hardware para a maior parte dos games ainda é superior ao necessário para o Windows, isso se deve pela otimização dos games, a otimização dos drivers de vídeo para Linux, sobretudo da AMD, e também as limitações técnicas que o OpenGL ainda tem, limitações estas que devem sumir com o Vulkan, mas pra termos certeza disso só realmente quando a nova API começar a ser utilizada.

Talvez Você Também Goste
32 ou 64 bits: Qual usar no meu PC?
Continue lendo

32 ou 64 bits: Qual usar no meu PC?

Há um tempo fizemos um vídeo falando sobre a utilização de sistemas de 64 e 32 bits, tanto no Linux, quanto no Windows. No post de hoje vamos retomar um pouco dessa ideia e discutir quando cada um deles pode ser utilizado.