Opera VPN: Podemos confiar em VPNs gratuitas?

VPNs gratuitas são seguras?

Com todos os acontecimentos atuais no mundo da tecnologia, o assunto privacidade tem sido cada vez mais discutido. Uma das maneiras mais conhecidas de se proteger online é através da utilização de uma VPN (Virtual Private Network) para mascarar as informações transmitidas.

O primeiro navegador a trazer uma VPN como um recurso nativo foi o Opera, lá em 2016. Alguns meses depois, também foi lançada uma versão da VPN para dispositivos móveis, através de um aplicativo para iOS e Android.

Opera VPN habilitado no navegador

Quem está por trás da Opera

A Opera Software é uma empresa norueguesa, que foi fundada em 1995 com a ideia de que o usuário deveria poder navegar na internet através de qualquer dispositivo. Em 2016, ela foi vendida para um grupo de investimentos chinês que detém o navegador e a marca “Opera” até hoje.

Utilizações do Opera VPN

Apesar das VPNs estarem muito ligadas com o assunto privacidade e anonimato, elas estão cada vez mais atraindo as massas. 

Muito tem se falado de um perigo da China ter acesso aos dados dos usuários, através do TikTok e outros serviços, mas toda a polêmica do caso Snowden e a Agência de Segurança Nacional dos Estados Unidos provaram que não é só o país asiático que está interessado em capturar dados dos cidadãos.

Os usuários cada vez mais querem se proteger de governos e grandes empresas como Google e Facebook que capturam seus dados para fins comerciais, e para isso recorrem às VPNs.

Outra utilização muito comum das VPNs é para acessar conteúdos bloqueados por região, como filmes e séries da Netflix e até mesmo, conteúdo televisivo.

Mas afinal, o que é uma VPN?

Quando um usuário acessa um determinado site, esta solicitação viaja do seu computador até o servidor onde este site está hospedado, entregando um determinado conteúdo de volta para o usuário.

Desta maneira, o seu provedor de internet sabe exatamente qual informação você está requisitando e de qual localização geográfica, e em teoria, tenta indicar a melhor rota para que o conteúdo seja entregue da maneira mais rápida.

A VPN é uma Rede Virtual Privada, e funciona de maneira similar à um túnel, onde a informação e localização geográfica são mascarados, ideal para quem precisa acessar um servidor que contém informações sigilosas, como documentos de trabalho, ou acessar conteúdos bloqueados com base em região.

O Dionatan fez um vídeo completinho explicando o que é uma VPN e você pode conferir logo abaixo:

Eu posso confiar na Opera VPN?

A resposta curta é: não. A Opera VPN é totalmente gratuita, e isso quer dizer que é preciso lucrar de alguma maneira. As duas maneiras mais populares de se lucrar com serviços gratuitos são através de anúncios ou vendendo dados do usuário.

O serviço de VPN da Opera promete entregar uma experiência sem anúncios no navegador, porém a própria empresa exibe alguns anúncios próprios durante a sua navegação.

Quanto à venda de dados do usuário, por se tratar de um programa de código fechado, não temos como saber o que está acontecendo por baixo dos panos. Se eles estão vendendo ou não estes dados, nunca saberemos.

Existem algumas limitações também, mesmo dentro do navegador Opera, plug-ins como WebRTC para chamadas de vídeo baseadas em navegador podem não funcionar bem com a integração VPN; no entanto, isso é algo que provavelmente será melhorado no futuro.

Mas qual serviço eu devo utilizar?

Existem uma infinidade de serviços de VPN no mercado, e cada um deles pode ser melhor para uma finalidade diferente. Você pode conferir no site da Wizcase uma comparação das 10 principais VPNs do mercado em 2020 para tirar as suas dúvidas entre qual VPN escolher.

Utilizando um serviço próprio de VPN, você garante que toda a sua rede está protegida (e não apenas os dados através do navegador), além de ter a possibilidade de utilizar qualquer outro navegador, como Google Chrome ou Firefox.

Você utiliza uma VPN? Deixe sua opinião nos comentários!

Até a próxima!

Talvez Você Também Goste