Site MEGA.nz tem seu bloqueio determinado pela justiça de SP

Site MEGA.nz tem seu bloqueio determinado pela justiça de SP

Alguns usuários do famoso serviço de compartilhamento, MEGA.nz, tiveram uma surpresa nada agradável nesta segunda-feira (30), pois quando foram acessar o site, ele se encontrava bloqueado.    

Mas toda essa confusão tem uma explicação. O Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP)  determinou no início de setembro (12) que Claro, Vivo, Oi e Algar Telecom impossibilitassem o acesso de alguns sites, que envolvia 10 (dez) domínios, entre eles o endereço do MEGA (mega.nz). O processo que tramita em segredo de justiça, ampliou o bloqueio que já existia e agora foi ampliado para outros sites, como: alfastream.cc, akugyash.com, centrelinguistique.com, oload.tv, verystream.net, fembed.net, ruvid.nl, clipwatching.com e videoshare.club.  

Segundo apuração feita pelo pessoal do Tecnoblog, quem foi autora do processo, é a Associação Brasileira de TV por Assinatura (ABTA). Quando procurada pela redação do site, “confirmou que possui processos contra sites que promovem a pirataria, mas como eles correm em segredo de justiça, preferiu não se posicionar sobre o assunto.”  

Os bloqueios feitos pelas operadoras podem variar. A Claro por exemplo, está fazendo o bloqueio via IP. Pode-se contornar isso utilizando uma VPN. Já a Vivo está fazendo o bloqueio via DNS, assim podendo ser contornado com a mudança do mesmo em PC ou no seu equipamento de rede.  

Com essa proibição, a conta oficial do MEGA no Twitter fez o seguinte pronunciamento:  

Este artigo não acaba aqui, continue trocando uma ideia lá no nosso fórum.

Espero você até a próxima, um forte abraço.


Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, clique aqui.

Talvez Você Também Goste
Debian 10 poderá vir com Wayland por padrão
Continue lendo

Debian 10 poderá vir com Wayland por padrão

O Debian é sem dúvidas uma das distribuições Linux mais famosas e adoradas pela comunidade. Seja por sua estabilidade monstruosa ou por ser a "mãe" de uma infinidade de distribuições. Conhecido por "ir com calma", o Debian é cauteloso na incorporação de novas tecnologias ao projeto. Entretanto parece que com o Wayland será diferente.