Valve diz que depois de Vulkan você vai esquecer o DirectX da Microsoft

Valve diz que depois de Vulkan você vai esquecer o DirectX da Microsoft

Dan Ginsbur, representante da Valve no SIGGRAPH 2015, subiu ao palco para falar sobre a nova API gráfica Vulkan, a qual já comentamos várias vezes aqui no blog e também no canal do Diolinux, ele deu uma declaração que certamente vai gerar polêmica, confira:

“DirectX12 ou qualquer outro futuro será desnecessário”, afirma Valve

Na SIGGRAPH (Special Interest Group on GRAPHics and Interactive Techniques) deste ano a Valve apresentou detalhes do Vulkan para os espectadores e pronunciou sobre o futuro das a API para os games da próxima geração.

Leia também: Entenda o que é o Vulkan

 Mas talvez, de todas as afirmações feitas por Ginsbur a que gerou mais polêmica foi:

“Vulkan é o caminho certo a seguir para alimentar a próxima geração de jogos de alto desempenho. A menos que você esteja ansioso o suficiente para estar desenvolvendo um jogo com DirectX 12 este ano, eu diria que não há muita razão para nunca criar um backend DirectX 12 para o seu jogo, e a razão para isso é que Vulkan trará suporte para você no Windows 10 também, da mesma forma que DX12 faria, além do seu game ser multiplataforma.”

Vários experimentos já comprovaram a potência do Vulkan, a Intel mesmo já demonstrou o quanto a API pode ser benéfica para os usuários, clique aqui e veja como o Vulkan consegue dobrar o fator de FPS nos testes realizados.

Confira a palestra completa da Valve:

O DirectX ficará de lado no futuro e a Microsoft não terá mais o monopólio do games? Só o tempo dirá. Qual a sua opinião sobre o assunto?

Talvez Você Também Goste
Nokia volta ao mercado
Continue lendo

Nokia volta ao mercado e lança seu primeiro Smartphone Android

Uma das companhias mais queridas do público consumidor está de volta ao mercado depois de passar alguns anos junto à Microsoft tentando alavancar o Windows Phone, projeto que infelizmente não deu certo, afinal, seria ótimo ter um grande terceiro concorrente, a Nokia voltou ao mercado com o Android, uma plataforma já consagrada no segmento.