Microsoft pode estar te espionando pelo Skype!

No controle do Skype desde outubro de 2011, quando concretizou a compra do aplicativo por nada menos que US$ 8,5 bilhões, a Microsoft está sendo acusada de ter feito sutis mudanças nos termos de privacidade do serviço para permitir escutas de conversas feitas entre os seus usuários. 
Microsoft Skype 2De acordo com fontes como o site da revista online Slate, a Microsoft teria feito essas mudanças em antecipação a pedidos que viriam a ser feitos por entidades governamentais e pela polícia de diversos países. A denúncia foi confirmada de forma cifrada por um porta-voz do Microsoft Skype, como o produto vem sendo chamado depois da aquisição pela gigante.  “Mesmo antes da compra pela Microsoft, o Skype coopera com agências de aplicação da lei, como é legalmente exigido e tecnicamente viável”, diz.
De acordo com os termos de privacidade da ferramenta, o Skype pode coletar informações como nome, endereço, telefone, número do celular, informações como a marca do seu celular e sua operadora, sua localização em dispositivos móveis, endereço de e-mail, idade, país, língua, endereço de IP, cookies, informações bancárias, perguntas respondidas em pesquisas da empresa, informações sobre o uso do software, endereço dos vídeos compartilhados, lista dos seus contatos e o conteúdo das suas mensagens instantâneas.
Um artigo em específico diz que a companhia está autorizada a colher dados de tráfego, “incluindo – mas não se limitando à – duração das chamadas, o número que fez a ligação e o que recebeu”.
Além disso, foi descoberto que em junho de 2011 a Microsoft teria registrado uma patente para “interceptar legalmente” conversas feitas em sistemas de voz sobre IP – como o Skype – e “silenciosamente copiar a comunicação transmitida na sessão”.
Por enquanto, nem a divisão do Skype e nem a diretoria da Microsoft se pronunciaram sobre o assunto diretamente.
Talvez Você Também Goste