Ubuntu 20.10 lançado, o que fazer depois de instalar?

Ubuntu 20.10 lançado, o que fazer depois de instalar?

O Ubuntu é uma distribuição bastante querida por vários usuários do mundo Linux e recentemente chegou a sua versão 20.10. Com esse lançamento, vários usuários de versões anteriores do sistema, ou até mesmo novos usuários pensam em testar essa versão.

Caso você seja um usuário Linux avançado, certamente já deve ter seu pós instalação guardado na cabeça, porém, se você for um usuário iniciante neste mundo, seguem algumas dicas irão te ajudar a configurar o sistema sem ter muita dor de cabeça.

Prepare seu pendrive, faça um backup e vamos conferir o que fazer antes e depois de instalar o Ubuntu 20.10 Groovy Gorilla.

1 – Atualize o sistema operacional

Atualizações do sistema sempre são importantes, pois, além de corrigir eventuais falhas e bugs que o sistema pode trazer, contém novas funções e melhorias para auxiliar o workflow do usuário.

Mesmo com a opção de “Baixar atualizações enquanto instala” marcada, nem sempre as atualizações são totalmente instaladas quando a instalação é concluída, fazendo com que o usuário baixe alguns megabytes quando o sistema é iniciado.

Geralmente o Ubuntu inicia o “Atualizador de programas” na primeira inicialização do sistema onde o programa exibe uma tela apresentando as atualizações disponíveis e perguntando ao usuário de ele deseja atualizar o sistema naquele momento ou mais tarde.

7 Jf1 BDFwZaZiU JpXHpLHvcxXZbzg0Y0OdnQMvREDLqlh3jhHx6LropBTHXrRS5jBa8vX8fKmkGat6rJFM9vsiMd2m9b

Ao clicar em “instalar agora”, o aplicativo irá pedir a senha de seu usuário e logo após o processo de atualização ocorrerá normalmente enquanto você continua configurando seu sistema operacional.

zPBHs7kQWgzgOFY5tv64LUvXbO5cXkgeu0abFaEc2nLUneXtUMj17J8rAex0 HewLe5Wk5hWBVR CxXXplq58XOd2CxlJP07Gkm9dkwTdsN1dTXtWqau0

Caso você seja um usuário que se sinta confortável com o terminal, é possível realizar esse processo rodando o comando:

sudo apt update && sudo apt upgrade -y

2 – Instale drivers de vídeo no sistema

Os drivers de vídeo são essenciais para que você possa ter a melhor experiência de uso do Ubuntu, tanto para jogos, quanto edição de vídeos e até mesmo, para que as animações do sistema rodem de forma mais fluída.

Antes de começar a instalação de softwares no sistema, vamos nos certificar que todos os drivers de vídeo estejam devidamente instalados.

Drivers NVIDIA

Instalar os Drivers da NVIDIA no Ubuntu já não é mais um “bicho de 7 cabeças” desde a versão 19.10, quando começaram a incluir os drivers proprietários na própria ISO. O processo que antes dependia de adicionar repositórios de terceiros e rodar inúmeros comandos no terminal ficou no passado.

Atualmente, é possível realizar a instalação dos drivers utilizando o software “Programas e atualizações” na aba de “Drivers adicionais”. Temos um artigo bem completo explicando como instalar os drivers para sua GPU NVIDIA. Caso você ainda esteja com alguma dúvida, saiba como escolher os drivers NVIDIA em 2020.

D6JZDm2FqstCgGTqLynJBs0DZflQMK88025FEowbfYgpedcRx8PdMNGY26QkZtdGlF4ffL70qNPLBvkkEeClgkl9sgEGWmTvqfzsUKlBumh3aEobF1yXiOAFc028l XWShzUTRyy

Drivers AMD

Os drivers de placas mais recentes da AMD, assim como as versões mais recentes de drivers para placas Intel HD Graphics em sua versão open source já vem instalados por padrão em praticamente todas as distribuições Linux, independente de qual seja a GPU utilizada.

Embora o driver AMD que acompanha as distribuições geralmente seja a melhor opção para a maioria dos usuários, pode ser que sua GPU AMD precise de algum recurso específico para rodar aplicações em Vulkan ou obter um melhor desempenho. Nestes casos, temos um artigo onde listamos todos modelos de GPU que precisam deste procedimento, além de ensinar a como realizá-lo.

Também existe um driver AMD proprietário disponível no site da fabricante, porém, ele somente é uma boa opção para casos muito específicos. Temos um artigo bem completo escrito pelo Jedi explicando tudo o que você precisa saber de drivers AMD no Linux que vale a pena conferir.

3 – Instale o pacote de idiomas

Os pacotes de idiomas são essenciais para manter os aplicativos e funções do sistema traduzidos corretamente. Embora o usuário selecione o idioma na instalação, os pacotes de idiomas não são totalmente instalados.

Para realizar a instalação, basta ir em configurações e na aba de “região e idioma”, clique no botão “Gerir idiomas instalados”

vmMCHe6H3mnNJHOReBdq0LQ0ZFVw7xSj AQ7XPj5qmTCcXFX1 HzWSNKrRyYmxR0sBU3BJBm4wZyf1AmWGfyPOoDNfHp6HZdQOJbNyryQWvKdKglHi3ibJ5uw

Logo após irá aparecer uma janela dizendo que o suporte a idiomas não foi completamente instalado, e irá perguntar se você deseja completar a instalação. Basta clicar em instalar agora e adicionar sua senha.

JVd7jTHM9bOH57iVw02C39AjtHBBSiWxZiw0zd36tRA ARWoioatW8WpTaIqG2eNn9y J9if5vF8MM4RhMhQ2LPNuq473UAaeBATu

4 – Ative o suporte a Flatpak no Ubuntu

Assim como os Snaps da Canonical, o Flatpak é um formato de empacotamento de software em sandbox. Essas aplicações rodam de forma separada do sistema, garantindo a estabilidade do mesmo.

Caso você queira saber mais sobre esse formato de empacotamento, temos um artigo no blog que irá sanar todas as suas dúvidas sobre os flatpaks.

Ativando o suporte a Flatpaks

Para ativar o suporte a Flatpak no Ubuntu, basta adicionar o pacote “flatpak” ao sistema, o processo pode ser realizado via Synaptic ou através do comando:

sudo apt install flatpak -y

Após ativar o suporte no sistema, precisamos adicionar o Flathub, um repositório de aplicações Flatpak. Para isso, basta rodar o seguinte comando no terminal:

flatpak remote-add --if-not-exists flathub https://flathub.org/repo/flathub.flatpakrepo

Snap store ou GNOME Software?

Desde a versão 20.04, a Canonical traz a Snap Store como a loja de aplicativos padrão do Ubuntu no lugar da GNOME Software. Até o momento desse artigo, a Snap Store não possui compatibilidade com flatpaks.

Caso você queira gerenciar todas as aplicações do sistema, seja do repositório, snap ou Flatpak, será necessária a instalação da GNOME Software. O processo de instalação é bem simples, basta apenas instalar o pacote “gnome-software” que pode ser realizado através do Synaptic ou via terminal com o comando:

sudo apt install gnome-software

Uma vez instalada, basta ativar o suporte a Flatpak na GNOME Software. Para isso, abra o aplicativo e navegue na aba de “Instalados”, procure a aplicação “Software” e clique nela.

SLfZFvJwflQ4ZNkHmaNo9HoLPD2c960JvbNfTO0 Ff0XJsDaMYTkunBGrXf8vOFlJEnOrDJr5euolpWWJp S36WFaxh2LPF14v5qt6x

Ao rolar um pouco a página, você verá a opção “Suporte a flatpak” desmarcada, basta marcá-la. Será aberta uma janela para que você adicione sua senha e logo após a instalação, a GNOME Software irá pedir para ser reiniciada.

Pmasd8hQ mHB1vlabXguW58DmYzifVv9rZ9EasTAXDbf4CmCXtDXPEJZeDKdiOlM3eECcNjVugvQkla8Jx9q LJCokPWyLX2EP50k 3u82F3kZJz M3W8nko1hPfePKXJ0AAUwI

O suporte a flatpaks já está ativo no sistema, e, você possuirá uma loja capaz de gerenciar os principais formatos de aplicativos disponíveis no mundo Linux. Caso queira remover a Snap Store (já que a GNOME Software também gerencia Snaps), basta rodar o seguinte comando no terminal:

sudo snap remove snap-store

5 – Personalize o sistema

Acho que essa é uma das tarefas mais empolgantes do pós-instalação, já que o sistema nos possibilita inúmeras formas de customização. Podemos criar um GNOME vanilla como muitos usuários gostam, ou até mesmo transformar nosso ambiente no MacOS.

Embora sejam customizações muito interessantes, neste artigo eu irei falar o básico para que você possa ter uma boa experiência com o sistema. Caso você customize o Ubuntu de outra forma, deixe nos comentários o que você faz durante sua personalização.

Dock do sistema

A dock lateral do Ubuntu, é uma das “marcas registradas” do sistema, desde suas versões com Unity, e desde que o Ubuntu adotou o GNOME por padrão, ele vem trabalhando em fornecer aos usuários uma experiência tão boa quanto a que tínhamos antigamente.

Dentro das configurações do sistema, a principal função de customização que temos para a “dock”, são alterar a posição e tamanho da dock, além de definir se ela deve ou não ser ocultada automaticamente.

Caso você tenha mais de um monitor, será adicionada uma opção para definir em qual deles a dock deve ser exibida. 

GEKkCgIoU4flnNr3YtspGkPOpSeXEf9FU3N9OorlXdR20ZVS01ZxxArE8miBoKvZF72iwqqnJ6dTJmHxFUr2a7zmGG 4xWyGEtGBV v

Embora sejam opções bastante simples, existem algumas modificações que eu acho particularmente interessantes, como a ação de minimizar os programas quando eu clico no ícone e até mesmo remover os ícones “dispositivos removíveis” da dock, já que raramente os utilizo.

Para realizar essa modificação, precisaremos do editor Dconf. Vale ressaltar que essa aplicação pode realizar várias alterações no sistema, então cuidado ao utilizá-la. Para instalá-lo, basta procurar “dconf” na GNOME Software, Synaptic ou utilizar o comando:

sudo apt install dconf-editor

Minimizar ao clicar

Com o editor Dconf aberto, procure por “dash-to-dock”, irá aparecer uma pasta na pesquisa, que é a pasta onde iremos trabalhar. Basta clicar nela e irão aparecer várias opções de customização para a dock.

kkmDcJVbA2uE9MH9BiveHT5zwQ 9ctDVUgmBFukIS973lYH4vg Is6 RD1L6 XH qxRFssYfFluhmS95APZlkqmQkVCtZj9COd7nSAn0R1yxlZuVWqSJzc40fIf5goYr

Ao rolar um pouco a página, iremos encontrar a opção “click-action” que por padrão utiliza o valor “focus-or-previews”. Ao clicar nela, desmarque a opção “Usar valor padrão” e em valor personalizado, selecione “minimize” ou “minimize-or-overview”.

BP0i2NLR1SLJo2ni7jCV9HvIPm4hd6wKhLT7D V9loFhEn

Ao clicar em aplicar, você verá que as ações do clique mudaram. Essa pequena mudança pode garantir um workflow bastante confortável para você.

Dispositivos removíveis na Dock

De forma semelhante ao que tínhamos no Unity, os dispositivos removíveis aparecem na dock lateral para que o usuário possa acessá-los de forma mais rápida. Embora essa função seja bastante interessante, ela pode ocupar um certo espaço que poderia ser usado para mais aplicativos.

04UXIHN7bFP6cSFu0TZ3FkM2f9QYESD6SAyjstCadJ73h vB M38yZB0uOedU0VWdz3n0ggmdaeAGGrPMPqyDFeYHn4O8TGsMBfN4MZUU7VcbfkHvq5njEwVeAj ptfrZEw9KmhW

Caso você não queira que esses ícones fiquem na dock, basta desativá-los no dconf. Na mesma tela em que ativamos a função de minimizar as aplicações, existe a opção “show-mounts”, basta desativá-la que estes ícones deixarão de ser exibidos.

DKNavIgwZdXaoG1syyqxNEIYXTedVs5k tQTSP9coaD1vtgxQ58GRG79eLt

Note que existe uma opção chamada “show-trash” que ao ser ativada, exibe o ícone da lixeira na dock, de forma semelhante ao que tínhamos no Unity.

Extensões

O que seria do GNOME sem suas extensões não é mesmo? Elas têm o poder de melhorar ou até mesmo mudar todo seu workflow no ambiente gráfico. Para utilizar (e gerenciar) suas extensões, além de fazer outras mudanças no GNOME, você irá utilizar o pacote “gnome-tweaks”, que pode ser instalado pela loja de aplicativos ou através do comando:

sudo apt install gnome-tweaks

Com o pacote instalado, basta procurar as extensões que você julga interessantes para seu trabalho. Vou listar algumas extensões que eu utilizo no meu workflow e deixar o link para a GNOME Extensions, onde elas podem ser instaladas.

  • Sound Input & Output device chooser: Permite ao usuário escolher o dispositivo de áudio a ser utilizado sem precisar entrar nas configurações.
  • GS Connect: Uma interface para utilizar o KDE Connect no GNOME Shell, temos um artigo falando mais sobre essa extensão.
  • Bluetooth quick connect: Auxilia o usuário a se conectar rapidamente com dispositivos bluetooth já pareados com o sistema.
  • User themes: Permite ao usuário modificar o tema Shell do GNOME.

Tema “escuro” do Ubuntu

Note que na aba de aparência do Ubuntu, temos três variantes: claro, padrão e escuro, porém, esta última opção de tema deixa elementos do shell do GNOME claros. Resolver este “bug” é relativamente simples já que precisaremos apenas do GNOME Tweaks e a extensão User Themes.

Ao abrir o GNOME Tweaks, vá até a aba aparência e em “Shell”, você verá que ele utiliza a opção “Padrão”, basta alterá-la para “Yaru-dark” e você verá que o sistema estará com o Dark Mode completo.

Gaveta de aplicativos

O Ubuntu 20.10 utiliza o GNOME 3.38 e herdou várias funções dele, entre elas, a nova gaveta de aplicativos. Ao abrí-la, o usuário deve perceber a aba de aplicativos frequentes foi removida para dar espaço a função de organizar as aplicações a gosto do usuário.

Sinta-se à vontade para adicionar suas aplicações ao sistema e organizar o menu da forma que mais lhe agrade.

6 – Mais dicas úteis para a configuração

Neste último tópico, vou apresentar algumas opções de softwares e configurações que podem ser úteis para terminar de configurar seu Ubuntu. Confira esta pequena lista que irá deixar o sistema pronto para uso.

Ubuntu restricted extras

O pacote “ubuntu-restricted-extras”, contém vários codecs de mídia e fontes proprietárias que por motivos de licença, não vem instalados por padrão no sistema. A instalação deste pacote é essencial para que você não tenha dores de cabeça ao tentar rodar os principais formatos de áudio e vídeo.

Para realizar a instalação deste pacote, basta rodar o seguinte comando no terminal:

sudo apt install ubuntu-restricted-extras

O bug dos emojis

Algumas distribuições Linux possuem um pequeno bug que faz com que os emojis apareçam com visual bastante estranho no navegador, onde, ao invés das carinhas amarelas que estamos acostumados a ver, são exibidos apenas o contorno com a tela preta.

Caso você esteja passando por esse problema, temos um artigo no blog onde ensinamos a como corrigir esse problema.

Backup do sistema

Um backup nunca é demais não é mesmo? Caso você planeje utilizar o Ubuntu como sistema principal, considere fazer um backup do sistema já pronto para uso, com o utilitário de backups Déjà Dup do Ubuntu ou até mesmo o Timeshift.

Novidade na instalação, Active Directory

Bem, o Active Directory não é algo que todos usuários utilizem, já que é um recurso voltado para o público empresarial. Mas caso você utilize seu computador em uma empresa que utilize Active Directory, saiba que agora é possível configurá-lo de forma fácil no Ubuntu.

Durante a instalação do sistema, ao chegar na tela de criação de usuário, você irá se deparar com uma nova opção chamada de “Use Active Directory”. Por padrão essa opção vem desmarcada e a instalação segue normalmente, mas caso você queira ingressar em uma rede com Active Directory basta marcá-la.

icJmQgM48ZOL0u2gPqIoGPfiJPcaZSxM64A50caMxWrSe2 xTSof8hzhu5sCElCJ7 2Lr17gtM 8P3 xtKOAKkmgfP B VY9CFRnSWe bky5EeBQPPurRrWg7wU6e38N3Jf6aM54

Ao clicar em “próximo”, será aberta uma nova tela para configuração do AD, onde o usuário adiciona informações como o domínio da rede, usuário e senha. Você pode testar a conexão com o domínio durante a instalação para saber se é o domínio correto e economizar algum tempo.

NiyKVAIPHIXWpVEGreEWm2s9hIxOTDpMu2vvzRqw3cCOrrffOBVJxSbFW1N1BrG5FBlXxyWdj7Q4REwYU3GbotwirXMtAU1iV3CLbAylNJxsqiid8NL4pIURpBFVeQhCx pUzlB

Caso aconteça algo e não seja possível ingressar em um domínio, a instalação irá exibir uma mensagem de erro e irá prosseguir normalmente, para que o usuário realize a integração com Active Directory dentro do sistema operacional.

9 JnBBPc06fsPeCRp70Wqxun8xmIR9y35e0YQg33E1LeSvZy Ma8XKfUB4KkymOLjg7aJqMl8FHQ8PT28f2uJmHT3wy2HfeBtSg6pYSa6e 4DGEgX5Ah8FN3m2WkbVZIOEwplRDg

Considerações finais

Depois de enfrentar este pequeno passo a passo, seu sistema está definitivamente pronto para o trabalho (ou você pode optar por testar outra distro…). Brincadeiras a parte, agora só resta curtir as novidades do Ubuntu.

O Ubuntu 20.10 está disponível para download através do site oficial.

Você já utiliza o Ubuntu? Como é o seu processo de pós-instalação? Deixe pra gente nos comentários e até a próxima notícia, dica ou tutorial!


Newsletter Diolinux
Talvez Você Também Goste
Ícone do Dropbox não iniciando no Linux Mint Cinnamon?
Continue lendo

Ícone do Dropbox não iniciando no Linux Mint Cinnamon? Veja como resolver!

Hoje eu tive um problema curioso no Linux Mint com Cinnamon. Reparei que o ícone indicador do Dropbox, o popular serviço de armazenamento em nuvem, não estava aparecendo na área de indicadores, ainda que o serviço estivesse funcionando corretamente. Como a solução do problema foi simples, eu resolvi compartilhar com você, caso você tenha o mesmo o problema, já saberá como resolver. ☺
Super Button Soccer
Continue lendo

Super Button Soccer – Um novo game brasileiro que entra pra Steam

Eu procuro sempre apoiar os desenvolvedores brasileiros, essa galera que está batalhando num país que ainda não valoriza tanto a produção nacional de softwares e games. Depois de mostrar para vocês em um vídeo o Ballistic Overkill e fazer um super DioCast com a galera da Aquiris, empresa que desenvolve o jogo, chegou a vez de Super Button Soccer, mais uma produção nacional que vai dar as caras aqui no blog.