Linux ganhará suporte nativo a telas touchscreens no Raspberry Pi

Linux ganhará suporte nativo a telas touchscreens no Raspberry Pi

Linux ganha suporte oficial a telas sensíveis ao toque no Raspberry Pi, na versão 5.0 do Kernel.

Atualmente o Linux já oferece suporte nativo a telas touchscreens no Raspberry Pi, por meio da conexão HDMI, limitando o uso do display de 7 polegadas (resolução 800 x 480). 

A conexão desta pequena tela é feita por outra entrada, a DSI, na qual usuários não tinham suporte nativo ao touchscreen, quando utilizavam o Linux.

No dia 2 de Janeiro o então responsável por esta funcionalidade no Raspberry Pi, o engenheiro da Google, Dmitry Torokhov, solicitou a Linus Tourvalds que incorporasse tal suporte ao Kernel Linux, por meio do novo driver de telas sensíveis ao toque do Raspberry Pi.

Com essa nova implementação, será possível criar tablets ou outros projetos no Raspberry Pi, sem necessariamente recorrer a telas conectadas à porta HDMI, dando maior liberdade ao arquitetar soluções com o equipamento.

Mais novidades ao Raspberry Pi e demais plataformas

Com o Kernel Linux 5.0, usuários de telas 4K, enfim poderão ver satisfatoriamente as mensagens do console, durante o boot do sistema. Agora telas HiDPI com densidade alta de pixels, serão melhores suportadas pois o Kernel inclui uma fonte 16×32, visando tais resoluções.

Arquiteturas ARM ganharão melhor gerenciamento de energia, através do Energy Aware Scheduling, que visa controlar o consumo de energia do CPU no Kernel Linux, aumentando a vida útil das baterias.

Você possui ou gostaria de ter um Raspberry Pi? Conte-nos sobre seus projetos ou desejos com essa poderosa “plaquinha”.

Aguardo você no próximo post e compartilhe, SISTEMATICAMENTE, com seus amigos e conhecidos, as postagens do Diolinux. Até mais. 😎

Talvez Você Também Goste
Nokia volta ao mercado
Continue lendo

Nokia volta ao mercado e lança seu primeiro Smartphone Android

Uma das companhias mais queridas do público consumidor está de volta ao mercado depois de passar alguns anos junto à Microsoft tentando alavancar o Windows Phone, projeto que infelizmente não deu certo, afinal, seria ótimo ter um grande terceiro concorrente, a Nokia voltou ao mercado com o Android, uma plataforma já consagrada no segmento.