Raspberry Pi lança o novo Compute Module 3+ (CM3+)com 32gb de armazenamento e 10x mais rápido

Raspberry Pi lança o novo Compute Module 3+

A Raspberry Pi Foundation anunciou nesta terça-feira (29) a mais nova versão do Compute Module 3+ (CM3+), que está trazendo melhorias e atualizações para esse módulo voltado para aplicações do setor industrial e comercial, com quatro versões e  preços que variam entre US$ 25 a US$ 40.

Esse novo módulo é baseado na plataforma Compute Module 3 (CM3) que foi lançada em 2016. Dentre as novidades duas se destacam, a mudança de processador e o tamanho de armazenamento.

Esse novo módulo é baseado na plataforma Compute Module 3 (CM3) que foi lançada em 2016. Dentre as novidades duas se destacam, a mudança de processador e o tamanho de armazenamento.

Na primeira versão lançada em 2016, o CM3 vinha com o processador da Broadcomm, o BCM2837 de 1,2 GHz (podendo chegar até 1,4GHz) e com armazenamento de 4GB.

Já na nova versão o processador foi trocado pelo modelo BCM2837B0, chip esse de 64 bits com quatro núcleos Cortex-A53, tendo uma melhor dissipação de calor em relação ao outro modelo. O clock do processador foi mantido devido a limitação da fonte de alimentação. Esse mesmo processador equipa os Raspberry Pi 3 Model B+ mas sem restrição de alimentação.

As versões do CM3+ terão 4 opções para os compradores e os preços variam conforme o tamanho do armazenamento. Os modelos são:

⏺ CM3+ Lite (sem armazenamento): US$ 25;

⏺ CM3+ de 8 GB: US$ 30;

⏺ CM3+ de 16 GB: US$ 35;

⏺ CM3+ de 32 GB: US$ 40.

Todas tem 1GB de memória RAM (LPDDR2), suporte ao armazenamento eMMC (exceto o modelo Lite), com isso trazendo uma confiabilidade maior para cartões SD por exemplo.

Segundo a Raspberry Pi Foundation, o CM3+ vem para ocupar o espaço entre as placas dos modelos A e B do Raspberry Pi que podem não atender as necessidades de quem busca criar um PCB simples e low-tech.

Para maiores informações e mais detalhes sobre o CM3+, veja o post no blog do Raspberry Pi Foundation.

Espero você no próximo post, forte abraço.

Talvez Você Também Goste
Tails 4.0 baseado no Debian 10 entra em fase beta
Continue lendo

Tails 4.0 baseado no Debian 10 entra em fase beta

Para os usuários que desejam uma privacidade em níveis mais elevados, utilizar apenas uma distribuição Linux não é o suficiente. Alguns requisitos são exigidos para se obter maior controle de sua privacidade e dados, usar apenas software livre é uma ótima opção, entretanto, digamos que ainda são necessárias outras etapas, é aí que entra a proposta da distro Linux Tails.
7 novidades que deverão chegar com o Linux Mint 18.1
Continue lendo

7 novidades que deverão chegar com o Linux Mint 18.1

O Linux Mint 18 está perto de receber a sua primeira atualização dentro do ciclo da versão 18, esta versão promete algumas novidades interessantes para os usuários. Seguindo o roadmap da distro, vamos listar algumas das principais novidades que podemos esperar para versão 18.1 do Linux Mint.