Governo do Reino Unido cria extenso material sobre segurança no uso do Ubuntu

Governo do Reino Unido cria extenso material sobre segurança no uso do Ubuntu

Software utilizado por órgãos públicos pode ser complicado. O ideal é que ele seja gratuito, para não onerar a população através de impostos, é interessante que ele seja aberto a modificações e seguro, também é interessante que exista um órgão ou empresa a qual recorrer em caso de necessidade de suporte, mas que, ainda assim, seja possível treinar a sua própria equipe para cuidar de todas as estações. Definitivamente não é simples.

É fácil observar que dentro destes requisitos o Ubuntu se encaixa muito bem, ainda mais por ser um sistema originário do Reino Unido (UK), entretanto, o Ubuntu possui uma configuração genérica, que permite customização, é claro, mas que foca em um público com necessidades mais generalizadas, incluindo o quesito segurança, assim como as demais distros com focos similares. Por conta disso, o governo do Reino Unido decidiu criar um guia de ajustes que devem ser implementados para que o Ubuntu fique dentro dos padrões de segurança que eles desejam.

Por que isso é interessante?

É interessante porque através de um guia como este você pode tirar várias dicas interessantes de segurança e privacidade para usar no seu computador ou no computador da sua empresa ou clientes.

A lista é “pra lá” de longa e você pode conferir ela de forma completa aqui, focando-se no Ubuntu 18.04 LTS. 

O que podemos fazer é apontar alguns pontos interessantes mencionados no documento:

– Dicas de instalação de softwares do repositório, incluindo e preferindo Snaps;

– Dicas de configuração do usuário, como alterar configurações para que arquivos binários não possam ser executados localmente sem maiores permissões;

– Configuração de privacidade, desabilitando a coleta de dados por pacotes do Ubuntu e ajustando as senhas, assim como, desabilitando o Apport;

– Desabilitando o acesso ao Shell pelo usuário comum, entre muitas outras coisas.

Vale a pena conferir a lista completa para ter uma noção das rotinas de segurança aplicadas e colocar em prática o que lhe for conveniente. Agradeço ao nosso leitor Léo Oliveira, que nos enviou a informação e ajudou a produzir este material.

Boa parte do material produzido pelo governo de lá também foca em mostrar que a estrutura por completo precisa ser sólida, não basta apenas ajustar a distro dos desktops e servidores, mas a infraestrutura, contendo firewalls e outras camadas adicionais de segurança também é um ponto de extrema importância, além do treinamento do usuário.

O que você achou da lista? Vai implementar alguma dica do seu(s) Ubuntu(s)?

Até a próxima!

Talvez Você Também Goste
Como instalar o OBS Studio no Ubuntu e no Linux Mint
Continue lendo

Como instalar o OBS Studio no Ubuntu e no Linux Mint

O Open Broadcaster Studio é um dos programas mais populares do mundo quando se fala em captura de tela e streaming de vídeo para YouTube e outros serviços similares. Ele também possui versão para Linux e hoje você vai aprender a instalar no Ubuntu e no Linux Mint, duas das distros mais populares.