3 coisas que o Linux faz que o Windows não faz

3 coisas que o Linux faz que o Windows não faz

Comparações entre os sistemas são inevitáveis, o Windows tem uma imensa biblioteca de software à sua disposição e esta é a sua principal vantagem (talvez a única), o Linux (como distribuições) também possui suas particularidades, vamos conhecer hoje 3 coisas que você consegue fazer com/no Linux e você não consegue fazer usando o Windows.

Todo sistema tem suas peculiaridades

Tenho uma frase boa para iniciar o meu artigo, “eu não odeio o Windows!“, inclusive acho que deixei isso bem claro neste vídeo do canal do Diolinux.

Comparações de Windows com Linux, Linux com Mac, Windows com Mac, etc são muito comuns na internet, e se você refletiu bem sobre a causa deve ter percebido que todo sistema tem sua utilidade e cada um deles é realmente forte em algum setor.

O que eu gostaria de mostrar aqui hoje não são vantagens em se utilizar o Linux necessariamente, mas sim, diferenciais, as vantagens eu já elucidei muito bem neste artigo que fica como sugestão:

10 motivos para mudar do Windows para o Ubuntu

Então, vamos conhecer 3 coisas que você consegue fazer com Linux e não consegue fazer com o Windows.

 1 – Mudar o HD de computador e usar o sistema normalmente

HD

Isso posso falar de experiência própria, já aconteceu (mais de uma vez infelizmente) de meu computador ter algum problema de Hardware e eu necessitar muito trabalhar com alguns arquivos, arranjar outra máquina nem foi o maior problema, mas configurar um ambiente produtivo para ter algo mais do que um “quebrador de galho” dá um certo trabalho com toda a certeza.

Com Linux eu simplesmente removi o HD do meu computador, cheguei em outra máquina, liguei ele, liguei o computador e trabalhei, todos os drivers reconhecidos automaticamente e funcionando, sem perda de desempenho, vai dizer que isso não é bacana? É né, agora tenta fazer isso com um HD usando Windows… A não ser que o hardware seja idêntico você terá uma certa dificuldade até arrumar todas as coisas.

2 – Atualizações do sistema não requerem reinicialização

Atualizações do sistema

Este foi um dos detalhes que me fez ser feliz usando Linux, quando existem atualizações do sistema, além de serem grátis e rápidas para acontecer o sistema não pede que você reinicie o computador a toda a hora para completar a atualização, ou fica atualizando o sistema antes de carregar a área de trabalha ou mesmo antes de desligar.

As únicas atualizações que requerem um reboot no Linux são as de Kernel e isso somente era válido até o lançamento do Kernel 4.0 que permitiu a mudança de Kernel sem a necessidade de reiniciar a máquina.

Só espero que você nunca encare uma atualização do Windows na inicialização do sistema quando necessitar fazer aquela apresentação importante em frente de um palco inteiro te esperando.

3 – Você pode usar interfaces gráficas diferentes e ao mesmo tempo

Desktop personalizável

Eis umas das coisas que é até meio complicado  de explicar, ou de se fazer entender, para pessoas que usaram apenas Windows ou Mac OS a vida toda, no Linux podemos ter mais de uma interface instalada no mesmo sistema operacional, dá até para usar duas ao mesmo tempo.

Lembro que instalei o KDE a um tempo atrás em paralelo ao Unity, mas enquanto usava o Unity se eu executasse o comando plasma-desktop, conseguia usar os Widgets e as barras do KDE ao mesmo tempo que usava o Unity.

Certamente essas são coisas que quem usa o Windows não pode fazer, mudar a interface gráfica (e o Kernel).

Você pode complementar o artigo com seus comentários contando o que mais você consegue fazer no Linux que não tem como fazer no Windows.

Até a próxima!

Talvez Você Também Goste
Jogue títulos do Playstation 3 no Linux com o RPCS3
Continue lendo

Jogue títulos do Playstation 3 no Linux com o RPCS3

O Playstation 3 é um dos consoles mais aclamados da Sony, claro que o Playstation 2 está em posições mais altas na lista dos “sonystas” (que lista é essa? 😁😁😁). Lançado em 11 de Novembro de 2006, no Japão, o “Play 3” (para os mais íntimos), só chegou em terras tupiniquins em 2007. Com continuações de títulos aclamados como, God of War e novos jogos sensacionais (The Last of Us é um deles), o Playstation 3 conquistou uma legião de gamers.